sábado, abril 25, 2020

HIPERFOCO. Adoro.


Em plena pandemia do COVID-19 (tão agradecida por não ter familiares nem amigos doentes!), e com o tlm sempre a tocar por causa dos reclusos que, já por si são psicóticos, mas com medo da infecção são totalmente passados dos carretos;

levo com  um recluso particularmente histérico…um  ex-stripper do Babilónia, revoltadíssimo, a exigir que eu envie um email à Direcção Geral dos Serviços Prisionais, porque acha que uma das cozinheiras daquela prisão, é uma grandessíssima porca e NÃO LAVA AS MÃOS! Fingi que enviei o e-mail, basta pôr um espaço a mais na dgsp.pt que o e-mail não é entregue. Mas tenho o comprovativo de envio. E ele fica tão feliz. TÃO BURRO E TÃO FELIZ.

Adiante, trago hoje um assunto muito pertinente para o mundo hodierno: A CIRURGIA PLÁSTICA. E sim, este é um post dirigido a mulheres e homens, porque implantes capilares também contam como intervenção e, além disso, o dinheiro também irá sair da vossa conta, quer se apercebam, quer não.

Desde o ano de 2000 que tomei a decisão de reduzir a peitaça.Até que, no ano de 2018, percebi que voos mais altos se levantavam /descaiam. L  Afinal, atenta a nova Mega Pança de Sacristão, o resto era um NÃO-PROBLEMA.  

 Eu tenho duas características super engraçadas, mas que me causam alguns transtornos.

A primeira é que, por um lado, o meu foco de atenção é muito difícil de controlar voluntariamente mas, por outro lado (que reverso da medalha emocionante!), – ( que até pode parece ser uma bênção, mas também pode dar em divórcio): se existir algo que me atraia e seja fonte de estimulação, entro em modo de HIPERFOCO e esqueço não só as minhas necessidades básicas, como tudo o resto (tostadeiras ligadas, bebés com fome, chichi reprimido).

 (Posso dizer que só escrevo no BLOGUE em modo de HIPERFOCO, sem Pedro por perto).

A 2ª característica é a minha IMPULSIVIDADE, que me leva a dizer sim a tudo que me propõem e ainda vou mais longe: EXIJO DATAS! Depois, é só ter uma trabalheira danada para desfazer o que fiz de errado (que, regra geral, é QUASE TUDO).

Isto para dizer que um dia destes,  entrei em  HIPERFOCO em relação à cirurgia plástica, nomeadamente à   ADBOMINOPLASTIA, de preferência com redução mamária.

Foi tudo numa questão de dias. Só não o foi numa questão de horas, porque as consultas demoram tempo (arghhh  ESPERAR, que coisa INSANA!!!).

Até tive a brilhante ideia de inscrever-me num grupo de apoio de cirurgias plásticas em Portugal. Aderi durante 2 dias, tempo necessário para perceber que tinha que fugir dali a sete pés: só existiam ali pessoas dementes, a cometerem erros ortográficos GRAVÍSSIMOS , sem noção da realidade, com perguntas infantis. E pior ainda eram as respostas, de pessoas igualmente dementes, e que (porcas!), já tinham feito as cirurgias e ali exibiam as suas fotos do antes e depois.

Daquele grupo de alienadas não retiraria nada de produtivo. Tinha que ser eu a tratar disto. Inicio as hostilidades:  

FASE 1 DO HIPERFOCO DA CIRURGIA PLÁSTICA:

Pesquisei TODOS os licenciados em MEDICINA entre os anos de 1980 até 1985 (décadas de experiência, desde que actualizadas, parece-me bem).Desses, separei os 15 médicos com a melhor MÉDIA na ESPECIALIDADE de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética (tive que avaliar com acuidade o curriculum vitae de cada um). 

Depois, escolhi os DOUTORADOS. Entretanto apurei que uns já tinham morrido, outros não exerciam, alguns eram muito mal-parecidos. Quedei-me com uns 7 ou 8. Desses 7 ou 8, relevei outros requisitos: que fossem ou já tivessem sido  DIRECTORES DE SERVIÇO de Cirurgia Plástica de Hospitais PÚBLICOS, e que exercessem ou tivessem exercido as funções de Professores Universitários (informação disponível  no Diário da República). Apurei 3 médicos.

FASE 2
Agora, a parte dura. O 1.º e 2.º candidatos tinham apenas UMA CASA DECIMAL de diferença na média. Aliás, acho que nem era uma casa decimal, era 0,01 e eu não sei como é que isso se chama, enfim, os 2 tinham todos os requisitos básicos, ambos tinham estagiados nos mais prestigiados centros, frequentaram simpósios eloquentes, davam palestras. O 3.º era um velho conhecido da brigada do croquete e da tv, meio alucinado.


FASE 3
Evidentemente, tinha que dissecar a vida pessoal deles. Ver o curriculum vitae é muito fácil, mas descobrir ORDINARICES GIRAS é um assunto muito mais crítico. Com os nomes completos (sim, não basta o nome profissional),  embrenhei-me na sordidez da internet.

Eis quando, de repente, emoção das emoções: um deles tinha-se demitido por causa de um ENORME ESCÂNDALO INTERNO no hospital! O escândalo vinha discriminado e pareceu-me até um pouco injusto (não gosto de injustiças). Marquei logo consulta com ele. O 2.º tinha cara de poucos amigos (estilo Miguel Sousa Tavares, adoro, adoro). Também simpatizei e marquei consulta. O 3.º... necessidade ir à televisão? Risquei-o da lista.


Entretanto,

Monólogo da sogra (profissional de saúde) quando soube que eu estava a pensar fazer 2 cirurgias no mesmo dia:

1.º “As tuas mamas são lindas”. (Hum…argumento frágil, está a preparar-me para o seguinte);

2.º “A redução mamária é muito complexa, e ficam-se com grandes cicatrizes!”AHAHAH, hilariante! Sogra, que venha a cicatriz mais feia do mundo e a mama repuxadinha que eu assino já de cruz. Aliás, com cicatrizes posso eu bem, tenho uma na perna bem reluzente, de 8 cm, fonte de grande orgulho e manancial de histórias inventadas.

3.º “A redução mamária é muito complexa, perde-se muito sangue”. Hum...Não gosto de sangue, muito menos de perdas súbitas e abundantes de sangue, ainda por cima do meu, que é A negativo, um tipo super ranhoso. 

4.º” A abdominoplastia…quer dizer…qualquer mulher tem uma barriga, até fica bonito e.. “ Cala-se.
 Enquanto falava desapertei as calças de ganga, pus a pança de fora em todo o seu esplendor. Imagens que valem por mil palavras.

Silêncio.

Vi que estava com pena de mim. Até eu fiquei com pena dela por estar com pena de mim. Depois puxei as calças e voltei a ter pena apenas de mim própria.

-  Ok, faço primeiro a barriga. Depois logo se vê”. Tenho uma leve esperança que, com um ventre bonito, as mamas até pareçam mais sinceras.

Entretanto, já fui a 2 consultas com os 2 cirurgiões e foi escolha fácil. Muito fácil. No próximo post completo o resto, a escrita já já vai longa e tenho que dispersar antes que chegue o ditador. Acho que o João acabou por não lanchar (mas também ainda não se queixou)…


Até ao próximo post, amanhã . Agora vou retirar os seios de cima do teclado e esperar que desçam carinhosamente até ao umbigo. 






4 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Bom dia:- Independente do elogio à sua belíssima publicação, venho desejar-lhe um Feliz fim de semana.Cuidado que o tal detido pode ler o que escreveu, lol

Viva a liberdade de um Povo

bea disse...

:)))
A trabalheira que tem para escolher um cirurgião capaz. Mas pronto, fica bem servida, não há quem duvide, é que faz um mestrado sobre a vida de cada um e nem se cinge apenas à profissão, é trabalho completo.
Gostei muito (do texto, claro). Aguardo o próximo capítulo.

redonda disse...

:))
acho assustadora a ideia de ser operada e peito e barriga na fotografia pareceram-me óptimos, se fores para a frente, muita boa-sorte e pelo que me contou uma amiga que fez a da barriga (e ficou óptima) a seguir não se pode é fazer abdominais nem levantar pesos

Susana disse...

Olá Ricardo, a pena dele é longa, não tenho medo. Foi um strip que correu mal e lhe valeu 18 anos de prisão.

Bea, muito obrigada!

Redonda, a foto NÃO É MINHA!!!!