terça-feira, julho 23, 2019

Volta Adrian Mole. Também já não tenho 13 anos.


Não é para me gabar, mas as minhas qualidades de madrasta transcendem-me e ficarão para a história destas 2 crianças, minhas enteadas -  um já faz o bigode e outras coisas, o outro ainda não percebi muito bem.

Ficou claro desde o início: vivem connosco, existem 2 casas de banho. Estão expressamente proibidos de utilizar a minha. Por dois motivos óbvios:

1.º Quero ter o direito, liberdade e garantias de que o meu soutien pode estar a secar algures por cima da cabine de duche, sem ter receio de que o mesmo seja observado, vilipendiado, manejado e/ou fotografado.

2.º Sabe Deus o que eles se lembram de fazer quando estão solitários, e eu que sou rapariga não faço a mais pequena ideia para onde vai a solidão deles, e se for para a sanita, corro o risco de ficar grávida novamente. Acho que li demasiadas vezes o Adrian Mole, eu ia jurar que a solidão leva ao lavatório, mas o Pedro avisou-me que não, já não digo nada.

Recentemente ouvi o mais velho dizer ao mais novo, em risota abafada, que a vizinha estava no truca-truca . (sic) (Deve ser aquela vizinha de cima bem mais velha que eu, que envergonha os meus jovens 38 anos, aquilo não pode ser considerado clinicamente normal).
Aproveitei logo.

- Ai ouviste ? – perguntei eu de frente, olhos nos olhos.
Silêncio.
- Então, ouviste ou não?
Ouviu-se um sumido e angustiado “sim” (do mais velho, o mais novo riu-se por ele ter sido apanhado)
-Já agora,  vocês já ouviram eu e o vosso pai? No truca-truca? Na minha altura era pinanço mas enfim...

 Silêncio. Agora dos dois.

 - Ouviram ou não? No meio da confusão, perdemos a noção do barulho...

O horror puro no olhar daquelas crianças semi- embuçadas e um já com um pé no 10.º ano. Priceless.

- Combinamos assim: se eu ou o vosso pai estivermos a fazer demasiado barulho,tipo…grande chavascal, façam-me um favor a e a vocês próprios…

- Saimos e compramos pizzas ? - mais novo, ainda em choque mas já com um ratinho no estômago.

- Não. Batem à porta e avisam que estamos a fazer demasiado barulho. 

A montanha-russa de emoções que aqueles dois sentiram no espaço de 2 minutos, foi de uma riqueza vivencial inigualável.

i)A palavra truca-truca em surdina que eu, com os meus ouvidos de tísica apanhei;
ii)O meu “olha lá”, em plenos pulmões, susto de morte, eu morria se os meus pais me apanhassem nestas conversas;
iii)A incredulidade/ twilight zone quando menciono a palavra “chavascal”.
iv)A patética alegria de pensarem que tinham autorização para saírem  e ir comprar comida!
v)A noção da obrigação formal a que ficam adstritos de que, caso oiçam alguma coisa, têm que ir avisar, batendo à porta.

Se me fizessem isso, enquanto adolescente, tinha um enfarte. No entanto, depois de saber que estas crianças jogam no GTA uma espécie de 2ª vida mas online, mundo esse em que são traficantes de droga e gastam muito, mas muito dinheiro em miúdas nuas e carros, precisam mas é de acordar para realidade, para o mundo não-ficcional.

Sim, vivem lá em casa, existem regras, têm que me avisar.  E nada de fugir porta fora e ir comprar pizzas (só a meu expresso pedido).

Pedrito e Picha D´Aço (lembram-se? o mais novo gosta de ser assim tratado, quem sou eu para o julgar): SIM! O vosso inócuo pai e a madrasta fazem cenas. SÓRDIDAS, super sórdidas. Muito mais que o GTA possa alvitrar.

Alguém teria que vos dizer.

 #quemtemumaMadrastadestastemtudo