domingo, setembro 11, 2016

Escatologia Aplicada (à vida real)


Para variar, mais uma história escatológica.Tem várias vertentes engraçadas (e já estou melhor), mas vou tentar não me dispersar:

Estando-me a sentir mal (em traços gerais, da barriga e dos rins), há já uma semana, decido ir às Urgências. Um médico examina-me, fala-me numa possível cólica renal, descobre uma  infecção, medica-me, fica chocado com o facto do meu filho ter entrado no pré-escolar com 3 anos e a filha dele com 4 não, e vou-me embora.

Continuando-me a sentir mal, o meu sogro vai a minha casa em SOS, apalpa todo meu epigastro, duodeno e intestinos e diz ao Pedro: “ Quanto à cólica não sei, mas infelizmente ela está CHEIA DE GASES”. (Pode piorar? Sim). “É que os gases não saem porque tem ali uma fezes muito duras na zona alta do intestino”.

Que stress, eu sou uma menina, eu não tenho gases. (Quanto às fezes contidas não há muito a fazer, um floater em 2010 havia-me já denunciado). Mas o meu sogro afiança que sim. De seguida, massaja-me vigorosamente com um óleo, ausculta-me a barriga e, esmerando-se no tom de voz: “ Xiiiii, QUE GUERRA QUE VAI AQUI DENTRO, CREDO!! Vai agora à casa de banho”.

Fui, deprimida que nem um cão. Quando voltei: “Então, muitos gases?” Pedro olha para mim divertidíssimo. E eu, mais morta que viva: “NÃO, mas obrigadinha, não se incomode mais, vá para casa, eu estou bem”.

 - “NÃO Susana, vou-te fazer mais massagens, até revolver essas fezes aí contidas, olha que  assim os gases não passam e dão muitas dores!!”. (vergonha, vergonha, vergonha)

E uma hora depois, aí sim, o Inferno desceu à Terra. O meu sogro saca de um Microlax da mala e ordena-me:“Agora introduzes isto no ânus (encolhi-me), e aguentas o mais que puderes.” “Depois” – continuou ele, com ar de mocho sábio: “ vais à casa de banho, e em 2 ou 3 bojardas mandas isso tudo cá para fora. Mesmo para partir a cerâmica. E depois chama-me que eu quero lá ir ver a cor disso”.

Foi uma situação absolutamente miserável, bati no fundo. Até 2 dias depois ter ido novamente às Urgências de outro hospital, e ter sido observada por um médico, angolano. Desta feita, a queixa era um pouco mais severa… fezes escuras, quase pretas, que indicavam um sangramento digerido.

Pergunta do médico: - “Aqui nesta sala, diga-me lá,…escuro como o quê?”

Eu olhei em volta, já quase desfalecida, com 5 horas de espera, e uma panóplia de análises e ecografias em cima. Estava num ponto de exaustão mental (o que não é muito difícil, em bom rigor). Olhei em volta… um gabinete muito feio, de um branco sujo quase bege. E já sem forças, olhei para ele e,  numa epifania disse: - “Dr., olhe,  escuro tipo.. olhe, TIPO A SUA COR!”.

E depois das palavras terem saído da minha boca, o meu coração praticamente parou. Senti um baque enorme no peito.  E pronto, ia levar um murro bem dado mas estava tão doente que era extremamente  triste apanhar naquela situação.

“Da minha cor”? Ahaha- riu-se imenso, levou a mão à testa e riu-se muito; - “Ahaha, essa é muito boa, mas assim vai ter mesmo que fazer uma colheita, mas não há-de ser muito grave porque sou preto mas há muito mais pretos do que eu!!

Para variar, roleta russa de emoções: que horror, não estava a acreditar que disse aquilo; que alívio, ele achou graça; duplo horror, colheita de cocó!!

No fim da consulta, após apalpar-me a barriga ("quantos filhos tem? só 1? tem a barriga toda aberta, não usou nenhuma cinta??!), e após examinar os relatórios, olhou para mim e disse com ar de feiticeiro da Nova Guiné: -” Susana, sabe quando é que uma mulher está plena de saúde,  ainda mais linda, cheia, cheia de graça e alegria”?

Tremi por dentro.

“QUANDO ESTÁ GRÁVIDA!!!” – e deu um murro na mesa.

Gritei.

E ele-  “Não minha querida, não está grávida, mas as mulheres ficam  tão lindas grávidas! A Susana é linda, mas grávida fica ainda mais linda de certeza!  Agora quando melhorar, compre um bom vinho, umas ostrazinhas, num final de serão, ao pé de uma lareira…”

Roleta de emoções 2: QUE MEDO!! QUE GIRO! QUE STRESS! QUE MÉDICO ENCANTADOR! SERÁ MALUCO?  QUE HOMEM ESPECTACULAR! TERÁ CÉDULA PROFISSIONAL? (DEVO AVISAR ALGUÉM DA ADMINISTRAÇÃO DO HOSPITAL?)

Quando cheguei à sala de espera contei ao Pedro, um branquela mercantil e economicista, e não posso propriamente reproduzir tudo o que disse, mas foi qualquer coisa como “MÉDICO DUM C… , FILHO DA P…, P… QUE O PARIU!!! RAIO DE MÉDICO, QUE IDEIAS PARVAS!! NÃO É ELE QUE OS SUSTENTA!! CAB… DUM C…”

Foi um dos momentos mais surreais da minha vida. E continuo inteira para o contar. Um bem-haja aos médicos angolanos com sentido  de humor e prático da vida.
NÃO ESTOU GRÁVIDA .

8 comentários:

Ana disse...

Tu continua assim, com cenas escatológicas ou não, que eu mijei-me a rir!!! ahahahahahahahahahahaha!
Parabéns por NÃO estares grávida.

Anónimo disse...

até me ficou a doer a barriga mas foi de tanto rir
susana

Sozinhas amargas disse...

De certeza Susana? 😏

snowgaze disse...

Chorei de rir. Este vai para a história dos posts mais engraçados de sempre, junto ao do advogado a zangar-se com a PT.

Anónimo disse...

ahahahahahah, muito bom..

Ainda bem que esta de volta, Susana!

Beijinhos

Susana disse...

Não estou grávida. Parece que foi uma úlcera. Velhice, não tem outro nome. Snowgaze, o velho da pt tem 2 historietas não tem? é o da cicuta que tu gostas.

Obrigada pelos comentários :)

Quarentona disse...

Sabes o que te digo? Não posso ler os teus posts durante o dia, só depois de tirar a tinta toda dos olhos, porque fiquei toda esborratada de tanto chorar a rir... és impagável, parabéns! Em dose dupla ;))))

Susana disse...

Obrigada Quarentona. Posso perguntar-te se estás em forma, dei uma vista de olhos pelo teu blog e pareceu-me que sim. Mas o mundo é tão esquisito.