sábado, agosto 20, 2016

Agasalha o croquete, e então?


O meu enteado chega a casa cabisbaixo. O tal querubim loiro de que já falei infra.
Vem de um fim-de-semana com a mãe e, intrigada, pergunto-lhe o que se passa. Tem relutância em dizer. Percebo que envolve algum castigo e sinto pena, porque ele é mesmo uma criança muito doce e ingénua, e quem o conhece subscreve de certeza. Atrevo-me até a dizer que é o menino mais delicado e ternurento que conheço.
Podes dizer-me o que se passou….” – incentivo.
Ele fita o chão, as beiças trémulas. Vejo-o chorar mas percebo que não quer falar e até eu, que sou um javali selvagem em matéria de discrição e respeito pelo silêncio dos outros, deixo-o em paz.
O pai entra na sala. olha para ele com ar reprovador. A seguir, também me fita, com ar de poucos amigos.  (Alerta medo)
- “A  mãe deste tirou-lhe o tablet 1 mês”.
Eu:”coitadinho, que horror!!” - enquanto na realidade penso que o horror vai ser o facto de eu não poder ver Dr Phil à noite para levar com a Chica Vampiro.
- “ Coitadinho??! Diz lá o que fizeste Afonso ” – ordena o pai.
E o miúdo na beirinha do sofá, as lágrimas a molharem-lhe a t-shirt.
- “Então a mãe deste gajo mando-o ir para a mesa jantar e ele vira-se para ela:
- “Olhá lá mãe, tu a partir de hoje chamas-me PICHA DE AÇO, ouviste? Não é Afonsinho, é PICHA DE AÇO.”
Eu estremeci. Picha de Aço era um mito do meu liceu. Adoro, esteve escrito na parede da Igreja de Queluz anos a fio. Confesso que utilizo várias vezes essa expressão porque a acho francamente boa…
O Pedro olhava para mim. Eu aconcheguei as mamas dentro do soutien numa sofrível manobra de diversão. Pedro não desviou o olhar.
Ri amareladamente: “Pagava para ser mosca, tu não?”
Oiço um seco - “Não.”
Senti-me patega. Até dias mais tarde ter lido no Expresso “Estudo comprova que dizer asneiras faz bem à saúde” (http://expresso.sapo.pt/queroestudarmelhor/qemnoticias/estudo-comprova-que-dizer-asneiras-faz-bem-a-saude=f869735)

Momento de Glória. Esta madrasta é do mais benéfico para a saúde mental que qualquer enteado podia almejar. Obrigada, muito obrigada. 

2 comentários:

Be disse...

Se te faz sentir melhor, eu pagava para ser mosca
ahahahhahahahhahahah

Susana disse...

É, não é? Há pessoas tão pouco curiosas. Pãezinhos sem sal.