sexta-feira, julho 18, 2014

Se conduzir, não se esqueça de...

Este post é dedicado a todos que, em determinado momento, se sentiram os seres humanos mais rascas deste mundo. E a vida continua.

Ia eu toda satisfeita com o Pedro às compras no Modelo (adoro ir às compras domésticas, sinto-me sempre super adulta e responsável).

As sobremesas estavam todas a 50% de desconto – imediato!! O Pedro, conduzindo o carrinho das compras, adverte-me que os nossos gelados (Cornetos 4 ever) iriam ser levados em último lugar para não derreter. Fiquei algo desconsolada porque tinha um legítimo receio que eles se esgotassem, mas não tive alternativa senão ir à merda das hortaliças e afins atrás dele (ODEIO COUVES E COMPANHIA!!! DÃO-ME NERVOS!!). Respiro fundo e continuo a empurrar o carrinho do Francisco (entretido com os seus próprios pés).

Finalmente, as compras terminaram. Agarrei nos meus queridos gelados e fomos para uma caixa de pagamento. Por ainda estar na fila, depositei-os cuidadosamente na prateleira das revistas e espreitei sofregamente a revista Nova Gente.
OMG! A  Bernardina do S.S. 4 está grávida?! Really?”

Entretanto, outra caixa de pagamento, muito mais longe, mas sem ninguém, abriu. O Pedro alcança-a facilmente. Eu lá vou a arrastar-me como sempre com os sapatos novos da Zara (saldos).

**
Pedro (de cara fechada, incomodado): “É tudo?”
Eu (matutando e atingindo pensei: que estúpida, deixei lá os cornetos).
Volto para trás, por acaso até mais lesta que o costume e alcanço as duas caixas encantadoras de gelado. Regresso junto a ele com os cornetos numa mão, e a Bernardina gorda que nem uma texuga na outra (ainda não tinha acabado de ler. Para onde é que ela vai viver?)
**
**
Pedro (rosto impassível): “Tens mesmo  a certeza que não te estás a esquecer de nada?
Fico confusa. As compras todas direitinhas conforme a lista que elaborei com a língua de fora durante 10 minutos. Não faltam o queijo e os 5 litros leite (itens OBRIGATÓRIOS lá em casa). Não falta absolutamente nada, sou a dona de casa perfeita!

Olho para trás. Olho para os lados.

E ao longe, na antepenúltima caixa, está o carrinho do Francisco. Não consigo perceber se ele está a chorar ou não porque está realmente distante (mas por acaso até acho que nem está, não obstante terem-se aglomerado umas quantas pessoas).

Que grande merda! Sinto-me uma carteirista detida em flagrante no 28. E lá vou eu buscar o meu filho em passo acelerado, sorrindo para as pessoas que entretanto se juntaram, como quem fez uma partida ao filho para ele aprender a não ser traquinas.  

O Pedro nada disse. Não precisa.

Posteriormente descansou-me um certo padre, rindo-se: “Susana, não és nada a pior mãe do mundo!! Mas realmente andas lá pelo rol”. É um pároco com muito sentido de humor.

NOT. Que homem estúpido! O que há de pior que um enxovalhamento paroquial??!

Então, seres humanos que já se sentiram muito rascas e a quem dediquei este desabafo… já se ajuizam melhor? Naturalmente que o título completo deste post é "Se conduzir, não se esqueça que tem um filho de 17 meses abandonado numa fila de supermercado, por muito aliciantes que sejam outros estímulos, vulgo gelados e revistas".


 (P.f.: a existirem, preciso de comentários meigos)

14 comentários:

Piston Homem disse...

Já viste como há tanta gente a gostar de ti? À falta de imaginação para criar "comentários meigos", optam pelo silêncio.

Bia disse...

Voltaste!! Fartei-me de rir, esquecer-se da criança no supermercado é bastante usual não te preocupes:) A minha até no IKEA...

Clarinha disse...

Um silêncio vale por mil palavras, porém, deixo aqui o meu comentário. Adoro-te à mesma.

redonda disse...

Imagino que se tivesse um filho, também me poderia acontecer quando encontrasse gelados e revistas :)

Susana disse...

São piores que os padres snif. Sublinho "cornetos morango" "bernardina grávida".

atirem a 1ª pedra.

Andreia Madeira disse...

Olha, não tens culpa que o menino ainda não fale e te chame pelo nome! Eeheheheh
Por isso és uma mãe santa.
(benvinda castiça!)

Andreia Madeira disse...

Olha, não tens culpa que o menino ainda não fale e te chame pelo nome! Eeheheheh
Por isso és uma mãe santa.
(benvinda castiça!)

Anónimo disse...

Deixa lá, os meus pais já se esqueceram de mim em casa e foram para a casa da minha tia, que fica a cerca de 30 km.

filipa vasconcelos disse...

Acho que aí o problema foi a combinação da dor forte causada pelos sapatos novos (que como toda a gente sabe nós mulheres insistimos em levar para as compras e a satisfação imediata e compensadora dos cornetos. Aliada, claro, ao medo de ver os queridos derreterem. Um desleixo que seria imperdoável. E depois a criança não tinha gelados em casa, não podia ser. Foi tudo em prol de uma causa maior. Mereces a paz de espírito, filha.

Leididi disse...

Ai mulher que há que tempos que não vinha aqui, estúpida que sou, porra, mas já li tudo de uma assentada. também convenhamos que foram só três textos, não é assim? Vamos lá ser mais produtivas porque eu sou pessoa que gosta de se rir e tu és boa nisso. Bom. Eu ainda não me esqueci da Amália em lado nenhum mas sei que isso vai acontecer um dia. tenho a certeza.

Susana disse...

Obrigada a todos e Leididi, o último é dedicado a ti, que eu estava a trabalhar tão sossegadinha e desafiaste-me para a brincadeira!

E para a pessoa desgraçada cujos pais se esqueceram dela e foram para a casa da tia a 30 km... Péddimo para ti realmente. Mas senti-me melhor, obrigada!

Susana disse...

Péddimo no sentido de péssimo, se é que me faço entender.

Pedro disse...

Estou lixado contigo. Então Deus e a gravidez deram-te o dobro das mamas para quê? Cola uns post-it, caramba.

Carlos Sampaio disse...

Trocado por cones! Coitado do puto.