quinta-feira, fevereiro 27, 2014

Resumo dos últimos 4 anos.

Era uma vez uma miúda simpática, muito dada e bem disposta, uma profissional liberal cheia de tempo e de frescuras.

Que encontrou um senhor igualmente bem-disposto, um verdadeiro gentleman

mas que não sabe pendurar os varões dos cortinados e que quando martela um prego cai parte da parede da sala, e ele diz que é apenas estuque (e então? é estuque e então? A parede partiu-se aos bocados ou não?)

(O que pôs em crise todas as minhas teorias de "eu quero é homens a sério, daqueles que sabem arranjar torradeiras")

E a isto chama-se AMOR.

 E o AMOR dá nisto.

Dá numa vergonha social muito grande, nem consegui dizer "estou grávida", porque isso implicaria revelar algumas coisas sobre a minha intimidade, então preferi dizer "vou ter um bebé", como quem diz " comi demasiada mousse, acho que vou ter uma dor de barriga" 

 E esta é a prova de que quando as pessoas estão em perigo iminente entram em absoluta negação.

E  que as pessoas ao seu redor têm tanto medo que dê a travadinha final que fazem-lhe as vontades todas, não obstante as recomendações obstétricas de "CESARIANA AGORA, DEIXEM-SE DE FOTOS"

ps - Mamas absolutamente... como direi?.. INCONSTITUCIONAIS.

Nesta foto reconheço perfeitamente o meu olhar esgazeado e sorriso azedo, com um único significado:

"Podes tirar a foto, mas se eu não gostar dela e não a apagares, irão existir vítimas graves. E não sou eu". (Penso que aqui o bebé pensou  que efectivamente a vítima poderia ser ele, mas na realidade referia-me ao pai  que insistia que eu tirasse uma foto no dia do teste do pezinho. Quem é que tira fotos no dia do teste do pezinho?! Quem?)

E tudo passou. Recompus-me do transtorno pós-cesáreo, a vida continuou, o bebé cresce feliz com leite da mãe e sopas da Bimby, os manos ficam felizes por terem um bebé na família a quem podem pegar numa perna e arrastar sala fora.

O pai gosta muito do bebé mas todos os dias me relembra que não pode ter mais um, porque já tendo 3, se tiver um 4.º  aos 35 anos toma uma cápsula de cianeto.

Mas eu sei que não toma. :)

Não, não estou grávida. A taróloga ainda não me disse nada.





quarta-feira, fevereiro 12, 2014

E tudo volta ao normal (not)

O Francisco faz 1 ano 2ª feira. Eu volto a repetir.: O Francisco faz 1 ano 2ª feira.

 SANTÍSSIMO NOME DE JESUS!!!

Ainda anteontem apanhei o susto da minha vida com a Taróloga no Fonte Nova de Benfica e agora o meu filho já tem um ano?

Ainda ontem iniciei afincadamente a minha mega-dieta para grávidas na adorável nutricionista para gestantes, engordei 21 kgs e nunca mais lá pus os pés por constrangimento alheio!!

Ainda ontem fiz sabe Deus o quê, uma vez que entretanto a minha memória piorou a 200%, sendo que também tento esquecer determinados períodos em que:

- enjoei de todos os cheiros existentes à face da terra, com especial incidência nos meus MÓVEIS DA SALA com o meu narigão inchado de porca;

- caminhei (ahaahahah hilarious, caminhei!) aos solavancos com as pernas/troncos retesados de tanta tensão e gordura  no difícil trajecto sofá/frigorífico  - frigorífico/sofá;

- andei permanentemente afogada em 2 bolas ultra-gigantes que suscitavam comentários e, juro, não eram lisonjeiros (Mamas. Assustadoras, mas clinicamente ainda eram mamas)

- HEMORRÓIDAS. Malta, a sério, não se brinca com coisas sérias, a srª das análises do Joaquim Chaves ficou tão perturbada que acabou por deixar escapar um "ai a menina depois vai ter mesmo que ser operada" depois de me tentar fazer uma colheita rectal com um micro-pauzinho e NÃO TER CONSEGUIDO (Nota de rodapé: Não fui operada. Voltou tudo ao sítio.Quase tudo).

O miúdo lá nasceu, gabado por toda a gente por saber mamar e chupar tão bem (aparentemente é uma aptidão que não é inata e requer alguma sensibilidade emocional)

E cresceu. Não desmesuradamente (mãe semi-anã, pai magricelas), mas bonito. Loiro, de olhos castanhos meio tortos como os meus, mas  que lhe confere um olhar diferente, misterioso (espero).

Não é por ser meu filho, mas acho que é um génio e é muito mais inteligente que todos as outras crianças, nomeadamente os irmãos Pedro e Afonso que já têm 10 e 9 anos. Temos pena, mas é.

1 ano. 2 dentes, unhas dos pés, tomates, tudo a que um bebé e sua mãe têm direito.

 E continuei a ser advogada, garantindo a comunidade traveca, ganhando romenos e conquistando cabo-verdianos, O meu próximo objectivo é malta de Leste, mas ainda não consegui.

Moral da história: Ter um filho é muito bom. E marido  também, especialmente matrimónio católico, por isso se me estás a ler Pedro Carmo, MANCA-TE.

E era só isto, nada de especial.

(MANCA-TE)