quarta-feira, maio 13, 2009

Por que não fui anestesiada?

Acho que neste fim de semana me aconteceu o pior pesadelo que podia ocorrer na vida de uma pessoa com alguma dignidade. Fui para o hospital de ambulância e, acreditem, não ocorreram problemas de maior a não o que se segue:

Susana deitada numa maca a congeminar: Meu Deus, vão-me despir? Como está a minha depilação? Tenho os peúgos rotos com um grande nó na ponta? Mentalmente, revi:

- virilhas - ok
- meia-perna - ok
- axilas - ok
- peúgos... semi-rotos - D´oh!

Enfim, penso que o meu grande calcanhar de aquiles eram mesmo as alças dilaceradas pelo tempo e umas meias pouco apresentáveis (é das botas, juro). De resto, tudo tranquilo.

Até que uma auxiliar me tenta despir (eu estava meio adormecida), a fim de me enfiar uma bata e oiço-a a praguejar sozinha:

- Chiça. Merda!

E eu sem perceber bem o que estava a acontecer.

E ela continuava, sozinha: - Que grande merda! e dava estalinhos entredentes em sinal de desagrado. Até que grita e eu, mesmo semi-inconsciente, estremeci de vergonha:

- Porra, alguém me ajuda a tirar as calças de ganga a esta miúda parecem que estão é coladas ao cu, mais à merda!

E vem mais uma auxiliar para ajudá-la a arrancar as minhas calças de ganga justinhas e fazerem-nas passar, primeiro pelo rabo e depois pelas ancas.

Sempre achei que os meus jeans eram sexys. Até serem precisas duas mulheres de meia-idade para mos arrancarem de mim própria. Penso que não tenho grande maturidade.

terça-feira, maio 05, 2009

A essência do tempo

Hoje de manhã estive num julgamento com vários arguidos traficantezecos. Um dos advogados de defesa, questionando o polícia sobre manobras de vigilância que tinham sido efectuadas sobre dois dos arguidos, numa casa de banho de uma estação da cp,

- e querendo, no fundo, demonstrar que os 2 arguidos (o constituinte dele e o meu), pelo tempo que lá estiveram podiam não estar necessariamente a delinquir, mas quiçá a urinar, avança:

advogado : "sr. agente, quanto tempo demoraram os 2 arguidos na casa de banho da estação de comboios?"
polícia: "não me recordo, 3 minutos... não sei precisar...entre 3 minutos...talvez 15"
advogado: "ó sr. agente..., tem que ser mais preciso! é que de 3 minutos a 15 minutos vai uma grande distância! Eu em 3 minutos posso fazer um simples xixi mas em 15 minutos é claro que já posso estar a fazer outras coisas!"

meu arguido - que é claramente retardado mental e deve ser inimputável: YA DREAD, A ALIVIAR UM CAGALHÃO!!

Se corei? Não.
Não corei porque morri.