domingo, outubro 19, 2008

A Hérnia: O Início

Vou-vos contar uma história linda na minha vida.

Num belo fim de tarde no verão de 1992, tinha eu 12 anos, estava a flirtar com um rapaz vizinho da minha tia num café lá da rua. Entretanto, tive a brilhante ideia de me sentar na esplanada - não numa cadeira -, mas sim num pneu coberto de cimento com um cilindro de ferro, que servia habitualmente para encaixar o chapéu-de-sol da esplanada.

Acontece que o chapéu estava guardado na despensa e eu, armada em boa, resolvi sentar-me com grande atitude em cima desse pneu sem reparar no cilindro de ferro. Não consigo traduzir por palavras nem sequer expressões onomatopeicas, a dor excruciante que senti quando o meu cóxcis se rachou naquele ferro. Foi violento.

E violento foi também o facto de eu descobrir, com essa idade, que com o cóxcis fendido e todo o meu ser a entrar em shut down, eu não soltei um pio nem demonstrei a mais ligeira perturbação...

Pelo contrário, para não dar o braço a torcer e anunciar ao mundo que tinha o osso do rabo estilhaçado, eu aguentei UMA TARDE INTEIRA no café,lançando piadas e rindo-me das suas histórias, sem ele jamais suspeitar que aquele miuda que ali estava, deveria era ser imediatamente imobilizada numa maca a aguardar cirurgia.

Contas feitas, esse flirtzinho aos 12 anos rendeu-me uma deformação no último disco da coluna vertebral que por sua vez originou uma hérnia discal que, pasme-se, vive comigo há 14 anos... Foi claramente um flirt mal jogado,

e que nem sequer valeu a pena, uma vez que nesse mesmo ano ele foi viver para a terra dos avós em Vilarinho da Castanheira (nunca mais me esqueço) e quando o reencontrei há uns três anos, verifiquei desolada que ele tinha uns quantos dentes podres e dava-me, na melhor das hipóteses, pelo meu umbigo.

Concluo assim que, em situações embaraçosas que envolvam os conceitos de "rabo" , "ferro" e "fractura-luxação coccígea", ponderem os prós e contras de uma eventual chamada para a Emergência Médica.

- Caso optem pela chamada telefónica, adianto que podem poupar muitas dores de traseiro e muitos e muitos euros em analgésicos narcóticos e TACs sacro-lombares.

- Caso optem pela total discrição e por um resto de tarde a flirtar ( abstraindo portanto da Experiência de Quase-Morte de rachar o ânus até ao último ossinho), certifiquem-se apenas que esse rapaz:

1.º - vai continuar a viver na vossa comarca ou, caso tenha mesmo que se mudar, não vá parar ao município de Carrazeda de Ansiães ;

2.º - tem hábitos de higiene oral senão diários, pelo menos regulares;

3.º -metricamente falando, tem grandes probabilidades de, na fase pós-puberdade, não se quedar nuns horripilantes 1.62 .

Assinado: portadora de hérnia discal mais burra de todos os tempos.

54 comentários:

Dejando huella disse...

Tenho a certeza que fiz algo semelhante ha 15 anos atras. Cai de rabo e senti uma dor excruciante, mas nem piei porque estava a frente de montes de rapazes giros. Durante meses mal me sentei direita e nunca me queixei ao medico por receio sei la de que.

Somos tao estupidos aos 12-23 anos..

estupido disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
jorge disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Paula disse...

Bem… até tenho vergonha.
Eu não tinha 12 anos já tinha 20.
Fizemos uma daquelas festas para juntar dinheiro para o carro da queima das fitas e lá fomos nós para a discoteca.
Eu juro que só tinha bebido uma Coca-Cola (não porque não goste de bebidas alcoólicas, mas simplesmente não tinha dinheiro para elas).
Lá ia eu a descer umas escadas (eram apenas 4 degrauzitos), não sei francamente como aconteceu sei que dei por mim num esforço quase heróico a tentar equilibrar-me para não cair.
Mas tudo em vão.
Caí e bati com o cú no chão.
Mas naquele momento o que me doeu, verdadeiramente, foi ter 4 colegas a olhar para mim a rir que nem doidos.
No outro dia lá fui eu para as aulas a arrastar uma perna e com o relógio partido.
Foi humilhante.
Pelo menos tu conseguiste disfarçar o caso.
Vale tudo, partir ossos, deixar cair os óculos numa lago,… mas a pose nunca.
:)

CO disse...

Afinal o que conta não é ver a conta bancária dos homens, mas sim o estado da sua escova de dentes.
Em vez de ir coscuvilhar as gavetas à procura dos extractos, vale mais irmos direitas à casa de banho… sempre é mais fácil.

Ricardinho disse...

Uma vez mijei nas calças quando andava na escola primária e quando escapamos do recinto da escola para irmos à procura da aventura. Mijei-me porque não parava de rir. Depois esqueci que estava mijado e lá fui para o resto da aula. Como tempo a água misturada com o resultado de transformações interiores do nosso organismo, secou e a partir dai o problema ficou totalmente resolvido. É claro que só ficou resolvido, depois de a máquina de lavar ter removido o meu riso das minhas calças mas a partir do momento em que secou, para mim a questão estava encerrada.

PS : A paciência tem limites. Não brinques com ela Susana Maria.

nuno disse...

Inicio? Vais começar a desbobinar todos os teus defeitos? Ainda estou apaixonado pelos teus defeitos. Por muito tempo que passe jamais te esquecerei e quero te dizer que ainda te amo. Ainda precisas do rim ou já fizeste o transplante. Estou disposto a dar-te um rim. Estou disposto a tudo mas a tudo para te conquistar novamente. Ficas marcada no meu coração para toda a vida. Mesmo que não queiras nada comigo, gostava muito que fosses apenas minha amiga. Ajudavas-me imenso.

Beijinhos do teu amigo Nuno.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Svetlana disse...

He He! Nunca tal m aconteceu, mas passei por cenas giras k essa idade.

josé disse...

Será o inicio do começo de revelações bombásticas? Quem sabe, né?

joaninha disse...

12 anos é realmente uma idade muito parva. uma hérnia por causa de um "pequenote" desdentado é triste caramba!

Monikyta disse...

se o inicio é assim, cm será o meio e o fim? lool

bj meu

rufio disse...

Olá

Vim parar por acaso ao teu blog através da pesquisa da palavra 'salsicha' no google e ainda não tive oportunidade de ler com mais atenção a tua vida porque me centrei especialmente no últino post, pelo facto de ser a última história relevante.
Tens um nome muito bonito, Susana.
A hernia ainda se manifesta ou ela porta-se bem?
Sem duvida que é um blog para seguir com muita atenção.
Obrigada pelas suberbas gargalhadas.

Rufio.

Ricardinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eu disse...

Eu com 12 anos andava a encher pneus com cimento - no meio dos quais espetava um cilindro de ferro - espalhava-os pelas esplanadas dos cafés e ficava escondido a ver que tipo de gente se sentava lá...mas isto era Eu

;))

Ana disse...

Conhecendo-me como me conheço, eu teria feito a figurinha ridícula logo aos 12 anos e estaria hoje a pensar "bem... apesar de se manter mais alto que eu, aqueles dentes podres fazem-me sentir que valeu a pena ter feito a figurinha rídicula"... Não estou aqui a dar lições de moral. O problema é que eu tenho muito pouca tolerância à dor e, portanto, teria sido realmente uma figura muito triste com um grande estardalhaço.
Cuida de ti!

Ricardinho disse...

PAZ ou SUI?

Ou te deixo em PAZ
Ou vou para a Suiça,
Mas já sei como se faz
Para não andar perdido
E andar entretido
E esquecido
Que tu
És
Um ser
Amigo.

Vou-te deixar em PAZ
E vou me conseguir levantar
Mas para quando aquele olhar
Que tanto me faz sonhar!!

Deixo-te em PAZ
E fico em Paz
Com a recordação deste dia
Onde com alegria
Ouvi tua linda voz...,
Que doce melodia!!

Teu!!

Anónimo disse...

eu nao sei... mas anda ai um tal de ricardinho com um bloguesito ridiculo... salsichinha devias pensar em escrever-lhe um texto dedicado á dua ridicularidade... lol talvez te deixe em paz.
belinha

Pedro disse...

Não se esqueçam da escova de dentes e, já agora, se for necessário de um banquinho! Ehehehehe

Ana disse...

Um banco é um bom contraceptivo, segundo algumas estatísticas! eheheh :p

Anónimo disse...

Parabéns!!

Porque hoje é o teu dia...

Jokinhas!!

Pratas disse...

Adorei o texto :) é bom recordar memórias da juventude...

Beijinhos

Prezado disse...

Nostalgia... que momento tão belo. eheh ;)

elsi disse...

Eu sou testemunha que esta história é verdadeira!! (vah a ida dele para a terrinha. . chama se cacém fora isso acho que está tudo correcto).

ehehe

susana disse...

elsi, não me estava a referir ao teu primi... adivinhas?

Rafeiro Perfumado disse...

Pois, pois... esta história faz-me lembrar as desculpas do pessoal que vai parar ao Hospital com coisas espetadas no rabo. A melhor é aquele tipo que gostava de cozinhar nu, tinha o material espalhado pela cozinha e escorregou. Conclusão: foi parar ao hospital com um rabanete espetado no cuzinho, apenas com a rama de fora. Diz lá que não é uma imagem linda?

rui pedro disse...

Quando dei pela tua falta, pensei que o mundo ia desaparecer, que tudo se iria escurecer para nunca mais voltar a ser o que era antes de nós fazermos a nossa jura o nosso momento de gloria e de conforto. Quando percebi que não estavas lá pensei que tudo iria acabar.

Sinto muitas saudades tuas amiga do coração!!

:)

Rui Pedro.

bruno avelar disse...

Bate bate coração
Louco...
Com a emoção!!

4 de novembro 2008 disse...

Uma grande pequena vitória!!

tozé disse...

Mas afinal de contas, como é que é? Não percebo nada disto. É para ganhar mas não me dão a vitória? É para alcançar determinados e certos objectivos? É para se chegar concretamente a um sitio? É para realmente querer vencer e querer ultrapassar os obstáculos um a um? Com facilidade ou com dificuldade? Publicidade ou Não Publicidade?

Como o teu blog todos os dias um pouquinho depois de antes acordar do pesadelo de Elm Street!!

Porta-te bem!!

dia 12 disse...

Hoje alguém faz anos
E no meio de tantos panos
Hoje alguém faz anos
Mas com o passar
Desses mesmos anos
Não somos mais
Razão do jamais
Mas podemos ser os tais
Com conversas mais.

tu disse...

És uma completa EXECUçÃO de toda uma vida!

eu disse...

Vou EXECUTAR com toda a paixão o seguimento da tua vida!!

paz disse...

Para te deixar de rastos, precisava de te dizer que tu não me mereces, pois nunca fizeste um esforço para me compreender e entender que não consigo te ver perder e ver que tu sabes o que eu não consigo saber.

suicídio disse...

Para eu me conseguir suicidar precisava da tarde toda para te contar, para te dizer que não sei onde vou parar, mas agora que o meu cerebro pára para te admirar eu não consigo ter ideias para me matar, pois me preenches com o teu jeito de andar.
Precisava de estar a desbobinar, de estar a conversar com uma mulher adulta que talvez saiba versar, que talvez me consiga me entender e me faça para ti escrever com alguma contrariedade de te fazer sofrêr.

próxima cena disse...

Algures nas Caraibas. Ele de um lado ela do outro lado, da fronteira com o além. Ambos afastados por coincidências superficiais. Ele aterra, ela está para aterrar e tudo o que encontram é uma vontade de voltar. Ele está de férias, ela de férias vai ficar se tudo correr no previsto de encontrar. Ele não traz roupa apenas as mãos para trabalhar, ela possui todo um tipo de artimanhas para conseguir consolidar a sua maneira de amar.

14 de Novembro de 2008 disse...

Dia da amizade!
Dia da solidariedade!
Nosso dia
Numa hora tardia!

BACI LOURA!!

cena próxima0 disse...

Ele vai para o hotel escrever num papel para não voltar a esquecer tudo o que está a acontecer. Ela está maravilhada. Diria mesmo petrificada algures na costa italiana, deitada ao sol com muita roupa vestida a beber um martini rosso. Tem muita gente de volta dela, que a protege e que a faz sentir de bem com o mundo, mas tem pouca gente que a faz sentir bem com ela mesma.Que a faz sentir levitar, subir, voar, por céus abertos, azuis, esbranquiçados! Que a faz dizer não dizendo.

próxima cena0 disse...

A guerra romântica tinha terminado. Um helicoptero estava caminhando para sua casa e ele estava parvo. Estava um pequenino passarinho a caminho de sair da gaiola. Ela estava em sua casa em cima do telhado com uma bandeira branca na mão, acenando para a multidão.

próxima cena1 disse...

Depois de ter entrado para o helicoptero com alguma facilidade, ai vai ele a caminho do encontro da sua vida. A caminho da esperança infinita.

vou ficar disse...

sozinho e desamparado em minha casa.

ana disse...

Texto brilhante, sempre com o sentido de humor que te caracteriza.

Ufffff...ainda bem que há administradores que fazem bem o seu papel ;)

bj

Ps: leio sempre, sem nunca comentar. Foi desta. Tinha mesmo que louvar o trabalho de quem elimina sem ser eliminado!

Ronin disse...

LOL fecho os olhos e consigo ver-te a fingir que não doeu nada LOL és/eras mesmo menina para isso ;-)

Beijo

ps: Feia ! Não me deste os parabens :-( :-p

Anónimo disse...

hello susana. joao. londres. joaonogueira.fotografo@gmail.com

anonimo disse...

Para eu deixar-te em paz, preciso que deixes-me em paz também.

Ricardinho disse...

Quando eu estiver com lucidez
Vou tentar a minha vez
De entrar no mundo em questão
Mil e uma histórias vou contar
Até me fartar
E dar um grito para o ar!!

Mente Quase Perigosa disse...

A história fascinou-me, cara Susana, confesso. Mas devo admitir que a tua caixa de comentários suplanta-te! Lolololol

MQP

P.S.: Gosto imenso do teu sentido de humor.

gabriel disse...

Eu no dia 20 fiz nove meses. Parabéns. És a 23 não és? Adeus e muitas felicidades companheira Susana!

Gabriel.

Belota disse...

Bem mas é que é mesmo típico!! Um homem com um arranhão já está a morrer e não pára de se queixar, nós, mesmo com os ossos estilhaçados, conseguimos fingir que nunca é nada connosco. Ser mulher não é nada fácil! Lol
(grande história, fartei-me de rir!!)

Guia das Mulheres Para Totos
http://guiadasmulheresparatotos.blogspot.com

Borealis disse...

estou lendo por inteiro teu bloque.

adoro.

um beijo suave e seco em cada virilha tua.

teu disse...

E eu quero colocar um. Depois dois. A seguir três, e rodar, rodar até nunca mais parar, até te fartares ou até indo ao limite daquilo que possas gostar!!

Monstro das Bolachas disse...

Eu se foxe a ti considerava em comprar um puff, dakeles pekeninos e com uma pega. Axim podes levar pa todo o lado e n correr exes riscos...lol
Humor sarcastico visto k tamos a falar de algo um tanto ou quanto desagradavel mas n deixa de ter a sua piada. Espero k esteja tudo bem e k n tenhas nenhuma mazela com tudo isto.

redjan disse...

susana:

Simplesmente de não comentar este post.
... mas sim de reler até à exaustão, de rir, de embasbacar com o modo como passeias por entre uma série de ideias. Do melhor que já li em algumas centenas de blog's...

quidam disse...

Pelos vistos parece que todas passamos pelo mesmo, quando tinha 14 anos a jogar volei com os amigos caí em cima de umas pedras, mas nem ai disse com a vergonha, voltei para as aulas o pior foi conseguir levantar-me no fim. Quando o tempo muda ainda me lembro desse dia...

www.asteoriasdequidam.blogspot.com