quinta-feira, outubro 12, 2006

Paulo Coelho ou a arte de enlouquecer

Quando não tenho nada que fazer, estou deveras entediada e começo a roçar a insanidade, pesquiso coisas no Google (FSDTC - fonte suprema de todo o conhecimento). Nomeadamente coisas que odeio.

Última pesquisa efectuada “ rio piedra + paulo coelho”

Resposta: vários links (links? Sites? Páginas? Sítios, whatever, pessoas medonhas que GOSTAM de Paulo Coelho) que apresentavam títulos com as seguintes discrepâncias:


Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei

Sentei-me às Margens do Rio Piedra e Chorei

Sentei - me ao bordo do rio Piedra e chorei

Na beira do Rio Piedra sentei e chorei

Às margens do Rio Piedra eu sentei e chorei




Eu sei que isto em nada contribui para a vossa felicidade. Nem tão pouco para a minha, mas o que retiro daqui é que as próprias pessoas que o leram (e, pasme-se, gostaram), acabaram por, de uma maneira ou e outra, soçobrar ao evidente e literalmente ensandeceram.

(Da única vez em que eu peguei nesse livro, sentei-me na borda da toalha, bati com a cabeça nas rochas e, violentamente, solucei).

Próxima pesquisa: " Luciana Abreu ".

4 comentários:

Anónimo disse...

E aquela do Nuno Graciano já te passou?

Eu disse...

odiar é feio e mau
odiar ocupa o espaço do amor
Eu não odeio
Eu não choro nem bato com a cabeça nas pedras
Eu nunca li paulo coelho
(Eu já andei no google...)

Jorge disse...

Toma: http://www.youtube.com/watch?v=6EVXHGb5Nv4
Não quero que te falte nada.

Carlos Sampaio disse...

Não tinhas nada melhor para pesquisar?