terça-feira, outubro 10, 2006

The Office

Tenho que confessar que esta semana propiciou momentos laborais gloriosos. Nomeadamente um que ocorreu hoje.

Um ligeiro bater à porta e irrompe bruscamente. Era a chefe na sala.
(Queria-nos quiçá apanhar em flagrante - Terá ela alcançado os seus intentos? - É com grande pesar que vos anuncio que sim.)

Quatro estavam em amena cavaqueira. Será assim tão vergonhoso? Sim, se três estiverem de pé a brincarem às cabeleireiras, e a fazerem tranças à menina-de-primeira-comunhão ao quarto elemento (eu). Com elásticos de prender dossiês. E garrafas de água a fingirem de amaciador e agrafadores a fazerem de máscara da Kerastase.
Tentando disfarçar, começamos todas a mexer e a remexer em papéis. Infelizmente os primeiros que me vieram parar às mãos (e que prontamente passei à minha colega) foram-me dados na estação de comboios e tinham escrito em letras garrafais “FRP – PROPOSTA REINVINDICATIVA 2007”. No mínimo, suspeito.

Outra dormia no sofá. Os vincos deste cravados na face direita não deixavam margem para dúvidas. Estava alapada há, pelo menos, 45 minutos. Ressonando, inclusive. (Esta nem tentou disfarçar.)

O último elemento safou-se melhor. Como estava a dormir em frente ao écran de costas para a porta passou por jurista expedito e dedicado. Felizmente, a chefe não reparou que ele, ansiando por mais espaço para colocar os seus cotovelos cansados, tinha colocado o teclado do computador..

EM CIMA DO MONITOR!!

A chefe olhou para todos, um a um. Ditou mais umas tarefas, atirou-me um ”que bonitas tranças" e saiu.

Agora não me venham reclamar que o dinheiro dos impostos, o meu salário blá blá e mais não sei o quê.
Quando trabalho, trabalho bem. E ninguém me paga estes sustos de levar o caixão à cova.

Ora pensem lá afinal se o vosso chefe não bate à porta?! Uma palavra: criminoso.

7 comentários:

Jorge disse...

Gostava de te "ver" noutras situações laborais. Acho que até podias fazer um exercicio de projecção de cenários e, sabe-se lá, mudar de emprego. Como seria a Susana:

- Cortadora de carne num matadouro
- Porteira num bar de alterne (Porteira mesmo. Não quero cá confusões)
- Organizadora de festas gay
- Rainha de Inglaterra (queria ver de que forma é que ias não-fazer o "trabalho" dela que é não fazer nada)
- Taróloga

Anónimo disse...

o q mais me chateia é que são pessoas como eu que REALMENTE TRABALHAM que pagam o teu ordenado.... mas enfim gosto de ler o q escreves! continua

Isa disse...

Esquece lá isso! De certeza, que deve haver por aí muito boa gente, a ganhar muito mais que tu (e cujo ordenado também sai do bolso de todos nós), e que faz muito menos..lol

Ricardo disse...

Pois, pois...

Eu disse...

Eu despedia essa chefe!

Carlos Sampaio disse...

trabalho quase ombro com ombro com o meu chefe. Não conheço o conceito, babar o teclado...

Ronin disse...

...oh minha maezinha do ceu... o que é que eu fui fazer............ sinto-me tão responsavel... ;-)))