quarta-feira, outubro 04, 2006

1ª lição sexual

Não sei porquê, mas hoje lembrei-me de uma noite à muitos, muitos anos atrás.

Eu estava a ver o Fugitivo, era uma terça por volta das 21h. De repente aparece o meu irmão na sala aos saltos todo nu, com uns três anos, correndo esbaforido como quem foge pela vida. O motivo? Só poderia ser um, estava certamente a esquivar-se às mãozinhas higiéncias da minha mãe para não ter que ir tomar banho.

Sempre aos saltinhos,lá se escondeu atrás do sofá, atirou-se para cima da mesa de jantar, lançou -se sobre os cortinados até aterrar mesmo de cu em cima da minha cara.

E foi então que eu reparei: ele, rapaz e futuro homem, parecia-me que só tinha um testículo, ou como a minha mãe carinhosamente chamava "um tomatinho" (recorde-se que a criança ainda andava com o bacio atrás, não eram propriamente aquelas bolas tailandesas enormes anti-stress).

Em pânico, grito: MÃEEE, O NUNO SÓ TEM UM TOMATINHO!!

Ela, intrigada, não fosse o destino pregar-lhe alguma e ainda não ter reparado que tinha um filho mono-tomático,

abeirou-se da criança, afastou-lhe o pénes, que carinhosamente chamava "a piroquita", e suspirando aliviada, aquietou o meu desespero:

- Não Susana, ele tem dois tomatinhos, estão é dentro do mesmo saquinho (hoje em dia vulgo escroto nojento), vês como estão separados aqui por este risquinho? Um dia dará para perceber melhor, quando ele for mais crescido.

Suspirei de alívio e voltei a pregar os olhos na televisão. A criança, que para o exame minucioso havia sido dependurado por um braço qual saguim bébé na floresta tropical, voltou a aperceber-se do perigo eminente e, de rabo, piroquita e (afinal!) dois tomatinhos saltitantes lá debandou outra vez.

Foi a minha primeira e última lição sexual. Isto até ter visto um velho alucinado atrás do liceu de Queluz que perseguiu a mim, à Ana, à Paula e à Bia até ao adro da igreja, de mastro em alta com os bigodes ao vento e murmurando insanidades.

Após o susto inicial, lá olhei de soslaio e retirei as minhas ilações.
A minha mãe tem sempre razão.

17 comentários:

Eu disse...

sem dúvida uma linda, enternecedora e esclarecedora história familiar (e televeisiva, porque não?)

mas , se me permites, Eu vou-m agarrar (salvo seja!) ao penúltimo parágrafo e levantar (salvo seja! de novo) as seguintes questões:

já que aquela foi a tua
"primeira e última lição sexual" não seria o "velho alucinado" um emissário de príapo com o objectivo estrito e altruísta de te educar um pouco mais?

porquê fugir até à igreja? esperança na salvação Divina?

se ele murmurava, e percebestéis que eram insanidades, então ele vinha mto próximo: era o velho q corria mto rápido (talvez auxíliado pela perna extra do entusiasmo) ou vós que, curiosas pelo discurso, não vos adiantáveis?

pois é, Eu tb assistia ao "fugitivo" e ao "crime disse ela" e fiquei dependente das entrelinhas para conseguir entender todos os contornos de qq história...

;)

botinhas disse...

hoje em dia vulgo escroto nojento
Nojento o do teu irmão ou no geral?

Joana disse...

E assim se pode traumatizar uma criança... ;)

Jorge disse...

A minha cabeça, já na altura avassaladoramente culta, comparava o seu orgão, em ocasiões muito especificas, ao presidente da república da altura (juro que é verdade!).
A minha Mãe, ficava a olhar para mim, com um sorriso envergonhado e a pensar: “vais ser pouco tarado, vais!”
Sempre fui um animal muito estranho, não é de agora...

Susana disse...

Pois eu fiquei tão traumatizada que quando o vejo parece-me o Cardeal Richelieau visto de trás, palavra! (cabeça com cabeleira imponente e tronco como se tivesse um manto comprido, visualizam? não? afianço que é verdade!)

Jorge disse...

Não sei que drogas tomas, mas sei que também quero. Faz um post com uma foto (do Cardeal Richelieau! ufa!) para confirmarmos o que dizes ou para oficializar o uso de estupefacientes.

susana disse...

desculpa, esqueci-me de pormenorizar: era o cardeal richelieu sim, mas do dartacão! ele vira-se majestosamente de costas e ei-la! imagem fiel de um pénes. garanto.

susana disse...

botinhas: escroto em geral obviamente. apesar de ter já tido o desprazer de ver o meu irmão nu. 22 anos

espera

espera

ah já está, já vomitei tudo, q alívio.

Carlos Sampaio disse...

Vê lá como falas do escroto! Eu tenho um e agradeço a Deus!

Também de saquinho de tomatinhos com risquinho a escroto... Quem não acharia nojento!?

E agora... Relembro-te! Não será por ventura o escroto, uma parte essencial para a tua existência?

passando o Silogismo.

O Escroto é importante para a existência dos espermatozóides.

Para a Susana nascer é necessário um espermatozóide.

Logo, o escroto é importante para a Susana!

Pensa nisto... Não sei... Fica só a ideia no ar...

Acho que todos nós devemos respeitar o escroto, pois sem o qual os espermatozóides estariam numa temperatura demasiado elevada para existirem!

;)

susana disse...

primo..para a Susana nascer foi preciso uma conjugação de factores altamente qualificados, que, miraculosamente, até ocorreram. Nomeadamente a falta de contracepção e dois pais bastante saudosos. deixa lá o escroto que enojada ja ando eu com o Nuno Graciano.

anhedonia disse...

Gozar com o escroto já era despropositado e completamente injusto (não nos vais obrigar, homens, a desfazer na genitália feminina, pois não?), mas agora com o NUNO GRACIANO? Esse , err, suprasumo? HEREGE! Para a fogueira, pois esta certamente nao flutua! :]

susana disse...

Eu não flutuo?? como te atreves!!! eu flutuo, rodopio e GRAVITO! desfaz lá na genitália feminina que eu até pago para ler.

Golfinho disse...

Susanita, a palavra à tem H.

"...lembrei-me de uma noite à muitos, muitos anos atrás."

susana disse...

e que pena só te dirigires a mim para isso.

Golfinho disse...

Se calhar fartei-me que as tuas convrsas comigo fossem tipo Nuno Markl para o mundo. Sendo tu o Markl e eu o mundo.

susana disse...

se me telefonares nada disso acontecerá.

durocomoferro disse...

Ó golfinho, afinal como é que é? Tenho que te fazer a folha? Eu não quero...