quarta-feira, junho 28, 2006

Novamente a adulta amadurecida

Acompanhem-me pf:

Hoje deitei-me no sofá da minha sala de trabalho, em pele preto, novinho em folha, e dormi durante 60 minutos certos.

após este descanso merecido (trabalhei durante 25 minutos intensivos durante a parte da manhã), limpei a baba, tirei a ramela dos olhos (estes profundamente doentes com as lentes de contacto literalmente coladas às órbitas) e perguntei ao pessoal: "café?"

e lá fomos todos para a pausa de meia hora, quando regressámos já era praticamente hora de sair.

E ganho eu 35 euros diários para esta vida, se adivinhasse que isto é que era crescer já tinha tomado anfetaminas há mais de 9 anos.

segunda-feira, junho 26, 2006

Jo desculpa!

Eu prometi que escrevia um post sobre a Joana Morais. Aqui vai:

A Joana é uma cavalona sexy. E veste o n.º36.
Noutro dia fui a casa dela e, deitada no tapete do quarto, resfolgando que nem uma égua, e prestes a acometer-se-me uma apoplexia,

vesti uma saia dela.

Por toda a vila ecoaram urros de alegria até que,

numa fracção de segundo,

se ouve um barulhinho inócuo,

o qual se revelou ser um fecho a estragar-se em directo.

Só tive tempo de esconder outra vez a saia na gaveta e colocar o meu sorriso mais amoroso.

Roliça sim, delatora jamais.

Salsicha redecondecorado

Por portas e travessas, fui compelida a ouvir o programa da Comercial sobre o meu salsichinha http://radiocomercial.clix.pt/destaques/blog_radio/index.asp

dentro do carro, com o meu pai, mãe e irmão. (sábado à hora de almoço não
é, definitivamente, um bom momento para a solidão)


começam a ler os posts:

o 1º - "ah e tal, só trabalho há 3 dias e já cheguei atrasada 6 vezes"

a minha mãe: SUSANA SOFIA, NÃO TENS VERGONHA NESSA CARA??

O 2º - "o meu irmão esfarrapou-se todo na bicicleta e toda a gente se riu muito!"

o meu irmão: sua p.. v.. de m..., c.. do c.. FOSTE ESCREVER ISTO porca de m.., p.. do car..


0 3.º e o 4.º não levantaram grande celeuma, à excepção de um olhar homicida da minha mãe "com que então os trabalhos na faculdade eram todos mentira? só te dá é para o mal, palavra de honra!"

5.º - o dos ovnis. Devo dizer que ficámos todos em silêncio relembrando esse momento deprimente.

Mas na realidade, o que levantou uma certa tensão entre os presentes, foi mesmo o 6.º post, referente aos vizinhos do Tiago, que fornicaram violentamente mesmo sob as nossas barbas, num barulho atroz, especialmente para quem anda à míngua já há bastante tempo,


Pai: Então mas quem é esse rapaz?
Mãe: às tantas da noite? que andavas tu a fazer?
Irmão (ainda encolerizado pela vergonha bicilitesca) : é uma grande galdéria é o que ela é, a insinuar-se junto a tudo quanto é homem. Bem te vi a soprares beijos ao Rabinho (amigo) sua grande porca mentirosa!

Foi delicioso agitar o mundinho provinciano da minha família..esperem só até eles não resistirem à curiosidade e lerem um certo post de Maio referente a uma fim de semana no Algarve, o qual eu estaria supostamente com a minha avó em Tomar mas estava era a divertir-me principiscamente em Vilamoura..


beijinhos mãe!!!! és linda!!
pai amigo, tb és mt bem apessoado.

sexta-feira, junho 23, 2006

Síntese biográfica

Este blog que hoje lêm, e cada dia que passa mais doentio, irá ser lido na rádio Comercial ("o meu blog dava um programa de rádio") num fim de semana já designado mas que não será por mim divulgado (imaginem que corre mal? não terei já eu dificuldades de sobra? Já não vos contei que me fizeram retenção na fonte? Não aguento outro abalo emocional)

Após saturada reflexão dos antigos posts concluí que:

Não, o meu blog não dava um programa de rádio. O meu blog dava:

- direito a hipnoterapia regressiva gratuita durante um período mínimo de 15 anos;
- direito a um título de transporte colectivo mensal com desconto para incapacitados;
- dever de ressarcimento por parte do meu núcleo familiar pelos traumas esotéricos que tenho vindo a desenvolver;
- direito a entrada vitalícia no Clube das Chaves para Enjeitados (a quem mais é que foi esquartejada uma gengiva errada, suturada com 9 pontos, porque o raio-x estava do avesso? Sim, porque o Sr. Dentista estava demasiado ocupado a regatear pratinhos de prata no famigerado E-BAY para atentar na boquinha de anjo da Su!)

- em suma, dava era uma estatística particularmente elucidativa sobre pessoal desocupado.

quarta-feira, junho 21, 2006

Lamento, sou mesmo adulta.

Já recebi o meu 1.º ordenado oficial.

Foi uma emoção ter, finalmente, rendimentos que se vejam (não obstante a retenção na fonte, um verdadeiro ultraje)

o único senão foi eu ter estoirado 43 contos de uma assentada e ter ficado estropiada em sentimentos de culpa completamente DISPENSÁVEIS

sim,

porque eu andei 4 anos na primária, 2 no ciclo e 6 no liceu,
mais 5 na faculdade e mais 2 na Ordem,para auferir aquele montante!

Agora que reflicto mais atentamente, eu deveria ter gasto era mesmo TUDO, e mesmo assim ficaria a anos-luz da compensação pela crueldade a que fui submetida nestes últimos 19 anos nos corredores sinistros de todas aquelas instituições.

Tanta chapadona que apanhei na primária por causa das simetrias.. e a vergonha de ter tido a única negativa na prova global de métodos quantitativos? e o 2 a educação visual? (peço perdão por não ter qualquer noção espacio-temporal sim?! ir-me-à valer de muito, quando tiver que parir um filho)

19 anos?? bolas, realmente permanece um mistério insolúvel o que é que eu fiz à informação apreendida em 2 décadas.

Dão-se alvíssaras (não muitas, seus conspurcadores de 1.ºs ordenados alheios!)a quem avançar resposta. Obrigada.

Tanta capacidade que vos é desconhecida..

É verdade, estou em falta.

Não tenho escrito posts diariamente, como previamente auto-combinado (quem se atreverá a negar que fala sozinho?), mas, curiosamente ninguém colocou a hipótese de eu, em bom rigor, ter entrado num processo de inflamação interna.
Isso entristece-se, nunca supus tanta descrença nos meus impulsos psicocinéticos destrutivos.

terça-feira, junho 20, 2006

Como me tornei um adulto responsável

São 6h46.

A contagem descrecente iniciou-se há 5 minutos e tudo vai mudar daqui a 14. Ou, como se alvitrou, os meus órgãos internos encarregar-se-ão de me poupar trabaho e arderei inexplicavelmente.

segunda-feira, junho 19, 2006

Não acredito que acabei de escrever isto.

Apetece-me desfiar hoje um rol gigantesco de asneiras. Controlei-me e, em vez disso, fiz da minha terapia ocupacional um escape: vou escrever para me organizar.

Eu nunca tive um estojo na minha vida. Eu andei em Humanidades e tinha um lápis todo roído. Andei na FDL e tinha uma lapiseira sem minas. Frequento a Ordem e ando com duas canetas, uma sem tampa e outra que se me esborra os ofícios todos.

Andei, da maneira mais pelintrosa que possam conceber, a esquivar-me à tentação de comprar livros enfarruscados, sem capas e ma-cheirosos nos alfarrabistas da Feira do Livro (quais bancas!!), para no fim dar-me conta que tinha perdido os meus 20 preciosos euros. Porquê?Porque atirei com o dinheiro para dentro da mala sem me dar ao trabalho de a acondicionar convenientemente na carteira. Lá fui eu a ferver obscenidades Parque Eduardo VII fora quando sei que a culpa é exclusivamente minha!

Preciso desesperadamente de me organizar. Eu canso-me a mim própria, esgoto todos os outros com os meus advérvios circnstanciais :"onde esão os óculos? onde estão as chaves? onde estão os livros? onde estão as chávenas?"

Estou completamente farta deste meu estilo de vida e vou mudar HOJE! Aliás, amanhã as 7h, logo logo quando acordar!


VOU COMPRAR UM BLOCO DE NOTAS DA MOLESKINE (12 euros. porcos.)
VOU A TODAS AS REUNÕES E ACTIVIDADES DO PROJECTO CRESCER
VOU ESCREVER À ALICE VIEIRA (ando há, palavra de honra, 12 anos para lhe escrever. Vergonhoso, no mínimo)
VOU ESCOVAR O DESGRAÇADO DA HUSKIE, QUANDO VAI À RUA ESCONDE-SE EM TUDO QUANTO É TAMPO DE ESGOTO E JÁ NÃO SORRI PERANTE AS CARÍCIAS FORTUITAS DE ESTRANHOS (não obstante, aquela lambona!, continua a ofertar-se lascivamente ao Basset da rua de cima)
VOU ESCREVER NESTE BLOGUE DIARIAMENTE, E SÓ COISAS VERDADEIRAS (descansem, corações alvoraçados, nem à frente de um pelotão de fuzilamento nua com uma touca de banho na cabeça e dois peúgos nas orelhas, a aldrabice deste blogue é já marca registada)

Em suma, vou crescer, comprometer-me e deixar de dar problemas.
Ou então entrar simplesmente em combustão espontânea.

sexta-feira, junho 16, 2006

Taberneira ou carroceira, qualquer uma serve

Só escrevo este post porque sei que a D. Belinha não domina propriamente a internet, (se é que ela alguma vez suspeitou que existiam computadores), e por conseguinte não me lerá. nem me aplicará qualquer tipo de servícias.

O certo é que eu tinha um prazo de 10 dias para entregar uma petição inicial que renderá, espero eu fervorsamente, uns 5 mil euros,

e se não fosse uma colega de trabalho, numa conversa de vão de escada, a alertar-me para a contagem dos dias,

hoje, à meia-noite, caducaria não só o tal mencionado prazo como toda a minha vida profissional e quiçá integridade física,

felizmente lá se fez o requerimento e se salvou a minha deprimente honra profissional.

E já é oficial: mais facilmente taberneira que servidora da Justiça.
Péssima profissional mas com uma consciência clarividente.

sexta-feira, junho 09, 2006

sem título. demasiado consternada para escrever.

Na semana passada estive a contar religiosamente as faltas que poderia dar ao longo do próximo ano. Com a língua de fora, esforçando-me ao mais alto nível, fiz dois gráficos, estatísticas pormenorizadas com feriados nacionais e municipais, folhas de optimização de cálculos e desenhos com legendas sempre com o intuito de saber como fazer render o peixe.

Logo nesta 2ª feira faltei por doença (do foro neurológico ainda por cima, já se sabe que é maleita oficialmente desdenhada, o que é um sistema nervoso esfrangalhado comparado com um abcesso hemorroidal?)

Pura e simplesmente, nasci para ser gozada pelas divindades. Não encontro explicação mais racional.

Rica menina

Hoje despendi aproximadamente 4 horas a racionalizar o meu ordenado.

segundo o dr. phil, 35% deveriam ser para a alimentação, 15% diversão, 15% poupança, and so on and so on.

após saturada e complexa análise, concluí que ganho mal como a merda, vou viver na miséria, com trapos andrajosos,dentes com escorbuto e moscardos em satélite.

Acho que vou gastar os meus últimos 20 euros no clássico da Bertrand: "Gestão para Tótós". Estes, como o nome indica, são os descompensados que gastam 4 contos nesta edição lamentável.

Tótó sim, descrente..nunca!!

O Susto 2

Fui ver a peça "o submarino".

não sei com o que é que fiquei mais chocada,

se com as mamas setentrionais da Teresa Guilherme (uma para cada ponto cardeal),

ou a erecção despudorada do Fallabella.

Ou com ambos, pois nunca supus que as duas fossem causa-efeito.


Mas foram, e eu na 2ª fila a assistir. Próxima peça entre o Cláudio Ramos e a Heloísa Miranda compro na última fila do 4.º balcão. Sou demasiado nova para apoplexias fulminantes.

Herman José e su muchacha

Terça-feira eu e uns amigos fomos jantar aos Bastidores do Herman.

Programa:
jantar mais entretenimento.

Preço:
35 euros

Situação Piscológica:
Após o choque térmico inicial, pois foi-nos dito que seriam 16 euros, não se pode dizer que eu tenha ficado no meu estado mais normal, se é que esta palavra alguma vez se se me aplicou,

não gritei nem esbracejei, limitei-me a choramingar enquanto lançava olhares lancinantes ao palerma do Bruno que ganha 500 contos por mês mais subsídios anuais!!

Situação física:
Penúria total.

Momento baixo (descoberta científica):
Altura da noite em que descobri que uma senhora Secretária de Estado , também faz chichi e cócó como nós tristes mortais. (Também é cá uma esponja)


Momento Alto:
foram 2:

um quando o Herman se dirige à nossa mesa e cumprimenta o seu amigo Bruno (E MEU!!) com um abraço caloroso com os olhos marejados de saudade(eu sei, sou uma provinciana e maravilho-me com estes pormenores)

outro quando já cá fora, aquele pára o seu BM série 7 no meio da rua e se dirige para o nosso grupo, sempre com um olhito lacrimejante no Bruno, e enceta alegre cavaqueira exausto mas feliz.

Agora, este momento alto volta a bifurcar-se, transformando-se numa humilhação exasperante:


1º ele conversa amenamente connosco,
2.º depois pergunta-nos um a um a nossa profissão:

Cláudia: sou bióloga
Miguel: desenho para a Marvel
Bruno: engenheiro informático
Marco: engenheiro urbanista


Su,abrindo a boca mas tarde de mais, pois todos já se haviam antecipado em uníssono num esgar de deleite:

ELA É FUNCIONÁRIA PÚBLICA!!


Uma expressão de nojo perspassa-lhe o olhar, enquanto eu faço instintivamente o que sei melhor para sair de situações embaraçosas: empertigo o peito e trinco os lábios.

Nova expressão de nojo, desta feita salteada de pequenos condimentos invejosos, pelo que voltei à minha condição de suburbana heteressexual e me resignei à minha sorte.


35 euros e uma humilhação gratuita. Que mais uma pelintra sem auto-estima poderá desejar?

Qualquer semelhança com a realidade...será compreensivelmente rejeitada

Bem, o que eu faço no meu trabalho..é simplesmente inerrável.
Faltam-nos lá uns pormenores técnicos pelo que temos andado um pouco desocupados enquanto não nos solucionam a lacuna.

Cenário fiel:

1.º dia 6 pesssoas observam-se morbida e mutuamente numa sala.
2.º dia, enquanto não se conhecem conversam polidamente sobre assuntos jurídicos.
3.º e 4.ºapós 2 dias ininterruptos de linguagem educada nota-se uma certa tensão no ar, tipo adolescentes de 15 anos que vêem pela primeira vez um pénis e não sabem o que fazer com ele.
5.º dia já se ouvem umas asneiritas seguidas de risinhos abafados.

3.a semana:
asneironas de fazer corar um casal de taberneiros ressoam pelo piso fora
voam socas,sapatos de berloques e echarpes de musselina.

4ª semana
as peúgas para protegerem os telemóveis são colocadas estrategicamente nas garrafas de água, enquanto se alardeiam comentários sexuais.
Efectuam-se chamadas anónimas e relembramos saudosamente a Árvore dos Espatafúrdios.


Acreditem, a intimidade já é um estado de alma fascinante, então numa sala de 5 mt quadrados com 6 deprimidos torna-se num verdadeiro momento kármico.

sexta-feira, junho 02, 2006

O halo de beatude




Con efeito, o inglesismo "soft" nunca se me aplicou.

Mas desde que faço parte do sector terciário activo lusitano, resolvi resguardar-me nalguma réstea de pudor que andasse por aqui entranhada desde os tempos de Castelo do Bode,

e colocar uma foto delico-doce, não deixando, não obstante, de ressalvar a curva adorável da lombar (acentuada pela hérnia discal da 5ª com a 4ª), no famigerado rabinho tísico (in your face), e no peitinho despedidndo-se do pai Sol (não se curva, atente-te, faz uma ligeira contra-vénia simplesmente, afinal a gravidade não perdoa nem mesmo a mim).

Antecipação a comentários de vão de escada:

não sou a minha prima mas admitam que os genes estão lá.
neste fim de semana algarvio não fui alimentada propriamente a soro e estou ligeiramente mais inchada

Zélia, tinhas razão,

acima de tudo respeito pela minha pessoa, não é beatice é desvelo racional,

a foto do bikini branco em que estou languidamente deitada na areia, arqueando os rins e colocando estrategicamente os braços acima da cabeça para elevar as mamitas ficará entre nós.

E Zé, seu ordinário, queres fotos da Elsa vai requisitá-las directamente e despede-te deste blogue respeitável, cambada de pré-adolescentes!