sábado, março 04, 2006

Agricultura biológica

Vergonha do dia:

Regressei após um ano de interregno ao ginásio, nome que eu carinhosamente atribuo a umas águas furtada pertencentes aos Bombeiros, com as paredes forradas a musgo e com 4 baldes um em cada canto, a evitar o desperdício de um bem precioso: água barrenta salpicada de elementos ácidos que cai do céu, vulgo chuvinha de Inverno.

Devo dizer que fazemos todos os exercícios gímnicos de casacos felpudos e capuz na cabeça, não porque somos o pessoal do Hip hop e quê mas porque temos mesmo muito frio.

Enfim, isto para dizer que saí de casa, e logo á saída do portão tinha um grande enlaçado de cócó, provavelmente um dos inúmeros ameigados da minha Bianca a mandar-lhe sinais amorosos (os cães são tão expressivos).

Pisei aquele montinho mas tive que ir a correr para o ginásio porque já estava atrasada. E tive mesmo que fazer a aula com os ténis porque não sabia que dos 300 metros que separam a minha casa daquele mundo olímpico iria ser presenteada com fezes quadrúpedes, senão teria ido munida com outro par!

Moral da história, o pessoal passou a hora inteira a snifar tentando descortinar que cheiro era aquilo e donde provinha.

Eu, com um ar profundamente enojado só ollhava reprovadoramente para o gajo que estava na máquina à minha esquerda que, inocente, já nem sabia onde haveria de se meter.

De regresso a casa vim a arrastar o pé, tentando apagar os vestígios criminosos.O plano saiu-me gorado porque o odor ainda estava realmente muito intenso.

Acabei por os ir dependurar no quintal,bem longe do meu quarto. Aproveitei para estrumar as beringelas.

2 comentários:

Simbelmune disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
susana lourenço disse...

Querida Su,
Tens uma incapacidade inata de assumir as tuas degraças, motivo pelo qual culpas sempre algum desgraçado com um ar mais inocente...
Lol..és demais.....