sexta-feira, setembro 30, 2005

Dedução lógico-aritmética - o post mais estúpido de todos os tempos

O pai do Bruno é o Virgílio do Sporting.
O pai da Filipa Gonçalves é o Néné do Benfica.
O Virgílio está para o Néné
assim como o Bruno está para a Filipa

Bom, chegamos ao cerne da questão. Ontem disse eu ao Bruno: "Se o Virgílio está para o Néné assim como tu estás para a Filipa, tu e o travesti vão ter relações sexuais".

Ora isto não tem lógica, eu sei.

Mas tem sempre alguma graça dizê-lo. O Bruno riu-se da parvoíce, mas depois fico hirto e sério:

"Isso pressupoõe que o meu pai e o Néné.."

Pois. Há uma altura na vida em que as crianças se apercebem que os pais não são os heróis destemidos, repletos de qualidades, intocáveis ao mais alto nível. Não, são seres humanos com pulsões diversas, e auréola de humanidade como qualquer um de nós.

Ele ficou muito abatido.

Ainda o RATO ZINGUER

Que fique claro que eu, Susana, admiro o Sr. Papa.


ou melhor:


ahah, estou hilariante!


(se pensam que isto é o degredo total, ainda não me viram a saltar nas aulas de Body Combat)

quinta-feira, setembro 29, 2005

Miguel, heterossexual convicto

Peço imensa desculpa pelo minha minha inconveniência.
é óbvio que não é homossexual, senão não participaria nessas orgias gregas futebolísticas, que dá pelo nome de blogue do anti benfica ou afins.

Gajo que é gajo delira com futebol. Confesso que por vezes apatece-me cometer crimes de ofensas corporais qualificadas ao meu namorado, quando está a dar o Mucifalense/Beira Baixa e ele não me liga nenhuma e reparem que eu estou vestida à criadinha francesa.

Mas se ele não gostasse de futebol..para além de suspeito seria anti-sexy.


P.S. - VIVA O YURAN DO F.C.P. ÉPOCA DE 1994/1995!!

Tiago Bernardo - 1 casamento e um divórcio litioso

Querido Tiago Bernardo:
Quando coloquei o seu nome no Google, para ver se descortinava quem era, apareceu-me logo à queima-roupa "desejo casar".



O Tiago tem um nome super caturreira, uma foto giríssima, um sentido de humor aguçado e uma inteligência acutilante (senão não leria atentamente o meu blogue, correcto).

Um conselho:
Não se case. Mais cedo ou mais tarde as esposas acabam por deixar crescer os pêlos das pernas, andam com peúgas de lã grossa no inverno, por cima das calças debotadas do pijama e no verão ficam com o palato mais dilatado e ressonam.

Dizem que vão usar o anel vaginal mas o certo é o que o obrigarão a ir à bomba de gasolina (24h) para comprar os preservativos e, pior, fazem cócó à sua frente.


Uma advertência exlusiva de:

Susana, a cada vez mais demente, perdoem-me pessoal da igreja, vulgo beatas, vocês sabem quem são!

Ry

Ry Ry Ry...


Sabes porque não pus o teu nome com maiúsculas?

Porque a tua imensidão e rectidão de carácter, tão inesperada quanto bem vinda, é demasiadamente grande para ainda sublinhá-la com meras regras dactilográficas.

Porquê maiscúlas se todo Tu mereces um teclado inteiro a fervilhar qualidades em Caps Lock?

pensa nisto, porque eu também acabei de inventar e ainda não digeri bem.

K9 - ...sei lá

K9, esse grande ser humano, que, por vezes, também se transfigura e faz uma perninha de email filtering application that works in conjunction with your regular POP3 email program and automatically classifies incoming emails as spam, foi por mim esquecido.



E que não se abone em meu favor dizendo-se que, afinal, eu nunca tinha ouvido falar nele em todo o decorrer dos meus frutuosos 25 anos. Não. Haja consciência, não se procurem justificações e quiçá, o mundo tornar-se-à num lugar mais profícuo de sentimentos e emoções.

Bem, não percebi o que escrevi, mas o que importa reter é que o K9 é um grande ser humano, ao mesmo tempo faz de spam e ainda tem tempo para lançar as vistas ao meu bébé, e não é do Benfica. Ou é, não tenho bem a certeza. Ok, é anti-anti Benfica, e aproveito para dizer que o pai do Bruno é o Virgílio do Sporting. O que interessa isso? Para vós, pessoas normais, provavelmente nada.

Para mim, que vivo das aparências, é informação excitante.

Obrigada

C.A.R.L.O.S. - Cantou Arrotou e Riu-se Lugubremente Ontem no Seixal

Carlos, conhecido ineternacionalmente por frimicrichiró, ou frimichórichi, whatever,

foi o meu lapso mais imperdoável.
Não há leitor mais fiél do que este ser humano aprazível, tão solícito e fofinho e sempre actualizado.

Carlos, diante de todos, ergo a mão ao peito (não quero piadas estúpidas, já me bastou ir hoje para o ginásio com 2 soutiens em cima um do outro, para melhor segurar, e eu pensar: é humanamente impossível chegar-se tão baixo) (e era literalmente baixo, mas não andavam a rojar pelo chão ouviram?)

adiante,

ergo a mão ao peito e, com olhos suplicantes, apoio-me no no teu ombro e, ruborizada, rogo: "perdoa-me"

Um grande-bem haja
(sabes se dá para tirar fotocópias no cartório de graça, para fins extra-religiosos?)

para o meu amigo Carlos, vulgo cara de cu.

Miguel Vieira - prêt à porter

Miguel Vieira, esse grande estilista homossexual português!

ou não.

Miguel, quem quer que sejas, aqui fica um sentido e profundo abraço, não há nada melhor do que saber que o meu blogue atingiu um nº com 2 (dois!!!!) dígitos. Esse 10 foi música para os meus ouvidos, espero que este post seja também para os teus. Se fores mesmo o estilista, desculpa lá a menção à tua orientação sexual, não sabia muito bem o que dizer. Ah, e claro, adorei a tua colecção de Inverno, que nunca na vida comprarei:

1º- porque menti, é uma colecção profundamente sinistra
2º- ainda estou a dever dinheiro à Ordem e provavelmente serei expulsa nos próximos 3 meses caso não regularize a minha dívida.

Um Bem-Haja para ti.
se quiseres saber em quem a Maya anda a descarregar toda a sua energia Zen, vulgo hum..enfim.. emaila-me.

Marta - insustentável leveza do C.P.R. (Cardio-Pulmonale Reanimation)

Marta.

Nome aramaico, que significa "dona de casa".

Por o ser, tem muito tempo livre para ver a tertúlia cor de rosa de manhã, ficar horrorizada com a bicheza/atracção que exerce o Cláudio Ramos e sorrir maliciosamente por saber que a Maya anda bem montada (tem um Mercedes e..anda enrolada com um advogado. Não digo quem é!) (se quiserem saber, e-mailem-me em privado: susi_nunes@hotmail.com)

Bem, a Marta, que tem muito tempo livre, até já anda num curso de socorrismo sabe Deus a fazer o quê, gosta de ler o meu blogue. Porque como futura psicóloga que é, anda desesperadamente a tentar arranjar sustentação formal e adjectiva para a sua tese a apresentar em 2006, que, em princípio, se reportará ao tema sugestivo: esquizofrenia bipolar.

Peço perdão por ser uma pessoa peculiar sim? Lá fora falamos!

MEA CULPA

A Susana errou.

Não, estou a brincar, a Susana não erra, tem é momentos mais elípticos na sua vida e por vezes esquece-se de algumas coisas. ou pessoas.

Porque sou uma grande fixe, irei dedicar um post a cada uma das pessoas que me esqueci de mencionar no post anterior.

A todos, um grande bem-haja, e a notícia em 1ª mão de que, 5ª feira, vou novamente ao dentista.

terça-feira, setembro 27, 2005

Este é dedicado a vós, fiéis resistentes

Esta semana fiz as contas e verifiquei, verdadeiramente emocionada, e com os olhos marejados de lágrimas, que já tenho 8 (oito) leitores!

é pois, com a voz embargada com a comoção, que orgulhosamente os enuncio:

1) o meu namorado - por imposição (e mesmo assim, desconfio que só lê as gordas)

2) o meu amigo Bruno - por interesses mobiliários e económicos, pois quer editar o meu filho em livro, e repartir metade dos lucros (mas a vergonha irreal que eu passaria por ter unicamente 4 exemplares vendidos seria só eu que a passaria certo?)

3) a minha amiga Cláudia (violadora dos direitos consagrados constitucionalmente de amorosos ratinhos) - para gozar comigo no Messenger

4) a namorada do meu irmão - para ver se descobre informações sobre o meu irmão e ex-namoradas

5) a minha amiga Zélia - porque a obrigo

6) o meu amigo David - porque diz que é sempre bom ler isto de manhã, a comer os cereais. E acrescenta que logo a seguir consegue evacuar mais facilmente. O "cagar literatura" no seu sentido mais profundo.

7) O casal J.C./Vera - por motivos indecifráveis.

8) o ry - porque é uma simpatia, e as pessoas simpáticas solidarizam-se com pessoas descompensadas como eu.

A todos, um grande BEM-HAJA.

Sr. Hacker. Volta para o teu mundo holográfico

Bem, acho que devo um pedido de desculpas à recente comunidade composta por 6 membros, que se dignam a ler o meu blogue.

Eu pensei que havia um hacker a destruir o meu bébé.
Isto porque, quando eu abria o blogger para editar os posts, a 1ª página dizia " 0 posts ". Eu eu "mas qual 0! eu tenho 61!"

Depois de uma carta aberta, muito choro, inimagináveis insultos, idas à Brigada anti-crimes informáticos na Judiciária da Gomes Freire, ameaças veladas e praguejamentos brutais,

perguntei o meu irmão o que fazer,
ao que ele, após abrir o blogger, respondeu e passo a citar:

"minha grande estúpida"

E eu "ai.."
e ele a repetir

"minha grande estúpida." "tu para veres os teus posts tens que ir à página que diz edit, mas tu estás na página que diz draft. Se tu não tens rascunhos nenhuns, é lógico que isto diz "0 posts found.E tu és estúpida e não sabes inglês".

e olhou-me com um ar cansado.

Eu fui para o meu quarto de fininho. Pensar se havia de contar isto, se havia de apagar a carta ao Sr. Hacker, se pedir desculpa aos leitores que levaram com o meu desgosto nestes últimos dias.

Se havia de tentar a lobotomia.

Lapsos...quem não os tem?

Meu fillho, meu tesouro

Isto aconteceu há 3 anos, altura em que uma amiga minha, a Xana, teve um filho.

Esse filho pesava tanto, que no parto, sem cesariana, rasgou-lhe o traseiro vulgo cu, tendo que levar 10 pontos. Fora os que levou no perineu.Mas isto são pormenores, porque o que eu quero contar não tem nada a ver.

Quando o filho já tinha 1 mês, eu implorei àXana que me deixasse levá-lo à rua, sozinha, para passear. Ela quis vir também. Mas eu obriguei-a a ficar em casa.

Isto por uma razão:

Meti a criança no carrinho e aí fui eu rua fora, a saracotear-me sedutoramente e olhando à minha volta tentando que todos me conseguissem ver.

E agora perguntam vocês: mas porquê? até porque assim pareço uma mãe solteira e não há nada mais estigmatizante do que isso.

Dizem bem. Mãe solteira, mas COM TUDO NO SÍTIO!RECÉM-MÃMÃ ENXUTÍSSIMA... Reparem:

As pessoas pensam que, supostamente tenho um filho de 1 mês. O que quer dizer que há 30 dias estava gravidíssima.

Ao bambolear-me criteriosamente pela rua estou, para variar, encolhida ao meu mais alto esforço, e, mais uma vez também, com a respiração suspensa a sair-me de pantufas pelas orelhas. Tenho, por conseguinte, apenas uma ligeira barriguinha. Sexy até.

As maminhas sugerem uma fase inicial de aleitamento. Mas vão firmes e hasteadas. O rabo, que faço questão de empinar, não parece um balão de banda gástrica como tantas vezes as grávidas, tristemente, ostentam.

Finalmente, passo por um café onde estão, simplesmente, mulheres.
Estas, sem sequer tentarem disfarçar, lançam-me olhares sanguinários verdadeiramente homicidas.

E eu para o puto, a tentar-me não rir (com voz de diminuída mental, e gugus-dadás à mistura : " ó filhote, tásss a gossstar não tásss, ó amorzinho, tão lindo, comeu tudo.., a papinha toda.., depois vais fazer ó-ó não vais?"

As mulheres a consumirem-se interiormente.
E eu satisfeita, pois ao menos uma vez na vida a minha ligeira barriga e, latus sensus, a minha figura roliça é justificada e, melhor ainda, admirada e invejada.

Há que saber aproveitar os contextos. E obrigar uma amiga chegada a engravidar.

domingo, setembro 25, 2005

Terror na Auto-Estrada

Aqui entre nós, tenho que vos contar isto (quer dizer, não é uma necessidade imperiosa, mas até gosto de desabafar) :

Esta semana, nessa já ultra-conhecida povoação/micro-mundo do Taguspark, dirigia-me pacatamente para o ginásio habitual (onde já estou inscrita há quase 13 dias), quando me aproximo de uma rotunda.

Ainda ia um pouco longe. Olho para a direita, nenhum carro.
Olho para a esquerda,

É O TERROR NO SEU ESTADO MAIS PRIMITIVO, O PAVOR MAIS DILACERANTE QUE PODE ACOMETER UM SER HUMANO, FICO TRANSFIGURADA, SUO EM BICA E AS MINHAS BATIDAS CARDÍACAS ACELERAM EM QUÁDRUPLO, ESTANDO NUM EMINENTE ESTADO DE APOPLEXIA FULMINANTE.


NÃO CONSIGO EMITIR UM ÚNICO SOM. UM ESGAR DE INCREDULIDADE MORRE-SE-ME NA GARGANTA E SÓ PENSO: SOBREVIVEREI A ISTO?


A entrar na rotunda, do meu lado esquerdo, vejo aquelas aberrações pertubadoras, denominadas desde há muito de "semi truck" ou camiões de cabine", normalmente comercializadas pela Volvo ou Mercedes.

Tem uma cabine GIGANTESCA, uma reconstrução pura do camião do "Duel" - Spielberg (1971 -google, amo-te) e depois, patética mas ao mesmo tempo horripilantemente, tem duas rodinhas pouco maiores que os meus seios, a fazerem de rodas, e um estrado do tamanho de um tabuleiro de forno eléctrico.

Juro: se ficarem a olhar mais de 3 segundos para uma coisa dessas, vão ficar com a sensação que há ali qualquer coisa que não bate certo, e depois, conforme os segundos escoam, vão começar a ficar perturbados até finalmente cederem e, bem alto, gritarem.

Não vos enoja isto?

Brrrrrrrrrr, spooky

Este que vos mostro não tem nem 1/10 da mosntruosidade daquele que eu vi. O pior foi que fiquei tão apática que entrei na rotunda sem dar por isso e, selvaticamente levei com a buzina daquele freeky show.

Não sei como não morri de susto.

RATOS - UM AMOR INSOFISMÁVEL

Este post do Rato Zinguer suscitou alguma polémica.

Não me refiro a fundamentalismos religiosos. Não.

Houve alguém que me disse, e passo a citar, "estúpida, isso não é um rato, é um urso".

e acrescentou ainda com um tom malicioso "e de ratos percebo eu".


Questão:

Mas afinal, que moralidade tem esta pessoa, bióloga no Instituto de Medicina Tropical, para me vir fazer afirmações dissertivas sobre o que é ou não um rato? À partida parece ter toda, mas agora acompanhem-me:

esta bióloga, que não tem outro nome e estas coisas são para ser ditas,

DISSECA RATINHOS AMOROSOS, PROVAVELMENTE PAIS DE FAMÍLIA E PADRINHOS DE AFILHADOS, QUIÇÁ SACRISTÃOS NA SUA PARÓQUIA LOCAL E VOLUNTÁRIOS DE ONG´S DIVERSAS, com a justificação, e reparem nisto:

- é para encontrar cura para doenças graves e asim salvar vidas humanas!!

que sacrilégio! CLÁUDIA, são ratinhos.

Olha:








Só para me chatear é que ela veio com a conversa do rato. Um urso, um rato, o que interessa isso?

Há é que reter é que também são filhos de Deus, teus e meus Irmãos, e espero que um dia reencarnes como ratazana de esgoto, mas esgoto do campo (para não haver a possibilidade de vires a ser uma rata rica).
Mas também espero, e porque sou misericordiosa, que já não hajam doenças letais para o Homem, e que a tua única eventual hipótese de morte prematura seja às mãos de um rato-esposo alcóolico.

(Um dia ainda hei-de relatar a história do meu 1º animal de estimação, um rato morto que encontrei dependurado num pacote de raticida da Bayer.) Mais tarde. Ainda é um assunto doloroso.

quinta-feira, setembro 22, 2005

Rato Zinguer

Que personagem do Seinfeld é que és

Sim, rendi-me a estes quiz hiper-estúpidos.
Pior que isso, minto aos próprios testes!
Quão baixo é que ainda poderei descer?



This low.

Ahaha, hoje tou hilariante!



Que personagem do Seinfeld é você?
Trazido a você por Soul Fire

Cirurgia aprazível

Gajas, vêde como a cirurgia plástica, ao invés das anteriores pacientes, podem ser reconfortantes.

Carrie - " Sex and the City". Quem sabe, sabe.

http://www.awfulplasticsurgery.com/archives/000463.html

J-LO

A Jennifer também se mostrou entediada com o seu prosaico nariz. Alternativa: afiná-lo..sem despudor

http://www.awfulplasticsurgery.com/archives/004167.html

Paris Hilton nos primórdios

No site: plásticas horríveis, encontrarão a Paris como teenager.
Bhacccc

http://www.awfulplasticsurgery.com/archives/005189.html

quarta-feira, setembro 21, 2005

Carta a um patife

Andaram a sacanear o meu blogue.

Só assim se explica o facto de 53 Posts terem desaparecido misteriosamente, pelo que nunca mais poderei editá-los.

Lisboa, 22 de Setembro de 2005

Assunto: Crueldade inadmissível


Sr. hacker:

Com as lágrimas nos olhos lhe peço: deixe o meu bébé em paz, porque eu nunca fiz nada de útil na vida, e assim sinto-me mais contente porque chego a casa e vou colocar posts. A minha mãe agradece o facto de eu ter deixado de andar a cirandar pela cozinha sempre a perguntar-lhe "o que é o jantar", vezes e vezes sem conta, até ela, desesperada, ceder e responder o que soa música aos meus ouvidos: "puré de batata com frango".

Tenha misericórdia de mim e dos meus. Reponha as coisas como estavam.

Senão também tenho a alternativa de me queixar junto do Diap. E se o Sr. hacker for o mesmo que meteu a minha foto tipo passe num site porno, adverti-o que então ficarei, definitivamente, aborrecida.

Atempadamente grata pela atenção dispensada,
os meus melhores cumprimentos,

Susana "agora já fico acordada até à 1h manhã" Alexandre

sexta-feira, setembro 16, 2005

Jack

O meu namorado quer comprar um canguru, à venda num mini-zoo no Mucifal, pela módica quantia de 2500€.

Diz que leu na "Super Interessante" que é um animal inteligente, capaz de apreender conceitos e executar tarefas.

Anunciou-me, com um ar orgulhoso , que assim o animal (solícito) abriria as garrafas de cerveja, traria as pantufas à sala e até programaria a temperatura no ar-condicionado.

Tenho, definitivamente, que lhe suspender a assinatura.

Volta Penthouse, estás perdoada!

O drogado

Conheço um adicto de droga, vulgo carocho, que experimentou um momento verdadeiramente transcendente ao tomar anestesia de cavalo.

Só conseguia mexer as órbitas já que todo o seu corpo estava paralizado.

Pausa.


Eu sei. Foi transcendente para ele..e também me transcende a mim.

Tele2 - Terror na Auto-estrada da comunicação

Hoje veio a conta da Tele2.

Como já mencionei num post anterior, o prosseguimento da minha vida terrena depende basicamente do valor computado na factura.

No dia 31 de Agosto, se o trauma não me tolda a memória, fui ameaçada veladamente pelo meu próprio progenitor. Veladamente porque ouvi um "Ai se a factura não é abaixo dos 30€ EU NEM SEI O QUE TE FAÇO". Portanto permanecemos ambos na ignorância. E eu não queria morrer ignorante.

Bem, mas veio a conta. Eu tirei a carta da caixa do correio. Sentei-me na sala. Acendi uma vela aromática para descomprimir, mas como me estava a faltar o ar acabei por não apreciar bem o momento.

Depois de 2 ou 3 idas à casa de banho (eu sei que é informação dispensável mas tudo o que meta rabos e cócós tem muita graça e eu gosto de vos agradar) abri, finalmente, o envelope.

Datas: 27 de Julho a 27 de Agosto.

Ainda não é a conta do mês fatídico. Tenho que esperar mais um mês angustiante para avaliar os estragos dos derradeiros dias de Agosto e os primeiros de Setembro.

Continuo a fazer planos. E a pedir as vossas preces.

quarta-feira, setembro 14, 2005

Pink Panther

Há uns anos atrás fiquei 1 mês internada no D. Estefânea.

Como hospital infantil que era, todos os seus pisos estavam enfeitados com desenhos, bonecos, e as paredes reproduziam desenhos animados tipo Minnie, Mickey e parentes afins.

No meu quarto estava a Pantera Cor de Rosa. A lamber um gelado.

Ocupava uma parede inteira, por isso não era uma figura que passasse despercebida. Infelizmente, por não ter muito mais que fazer senão ficar deitada na cama, com um catater enfiado na bexiga, e uma fralda gigantesca, fiquei a olhar para esse boneco durante 30 dias, ao fim dos quais já tinha decorado os pêlos do rabo e os dedos das mãos (da Pantera, note-se).

Já nos últimos dias a irmã da minha avó foi-me visitar. Trouxe-me flores e começou a examinar o quarto, deitando olhares circundantes até se deparar com a Pantera.

- Ah-exaclama ela. - Que quarto tão bonito! Até tem ali um macaco a comer um iogurte!

Eu olhei para ela. Depois para a Pantera cor de rosa ( cor de rosíssima) e o sugestivo Gelado. Voltei a olhar para ela. A minha tia-avó continuava com o olhar mais enlevado do mundo, a contemplar o suposto símio.

Até hoje não percebo.

As peúgas

Num desses saudosos verões em que passei 15 dias a vegetar na terra da minha avó, em Mafra, tive um vislumbre do que é um casamento saudável.

A minha avó estava a coser umas peúgas do meu avô, que tinham um buraco magistral no dedo grande do pé.

O meu avô estava ao pé dela, a ver televisão.

De repente ele saiu do torpor macilento no qual estava há já quase meia-hora para, simplesmente, deitar um olho ao trabalho ingrato da minha avó e dizer:

- Olha lá, não vês que esse nó está mal feito?

Com um olhar a chispar faúlhas, ela retirou a agulha, dobrou as 2 peúgas inacabadas numa só, e, de uma assentada, atirou-lhe com elas no meio dos olhos sussurando:

- Nó mal feito dei eu há já quase 50 anos.

E foi-se embora, deixando o meu avô a rir-se que nem um perdido.

O casamento saudável, repleto de amor? Está nestas pequenas coisas..Num retirar estratégico da agulha..Hajam casamentos assim, fogosos, mas consentâneos no respeito devido.

E o que eu me ri, Meu Deus!

sábado, setembro 10, 2005

Professora Margarida:

Um dia apanhei a chapadona da minha vida, aplicada vigorosamente pela minha professora primária.

Motivo: não conseguia atinar com as simetrias, e se tinha que fazer um quadradinho no lado esquerdo era certinho que o iria desenhar no lado direito.

Nunca fui muito boa com localizações espacio-temporais.

Isto para dizer, que aquela grande mula, bateu-me mais do que uma vez, por uma merdicha que já se revelou ser completamente despicienda na minha vida, porque eu não preciso das simetrias para nada! Tirei um curso de Letras! Sei tocar piano! Falo mais do que uma língua! Tenho coordenação motora! Sei conjugar os horários do comboio de Sete Rios com a Vimeca!

Para que é que eu quero simetrias? Até tenho uma perna maior que a outra!

SUA GRANDE BRUXA!

O frango sub-aproveitado

A minha mãe sofre muito.

Tenho que contar esta história, porque me divirto imenso quando me lembro, e também por inúmeros pedidos para imortalizar o episódio.

Um dia eu, estava eu no pátio da minha casa a brincar com a Bianca, quando tive a brilhante ideia de pegar num balde de cimento com 15 Kgs.
Naturalmente, (senão nem teria piada), o balde caiu-me em cima dos pézinhos. Pés esses descalços e que ficaram portanto, plenamente expostos ao embate brutal que ocorreu.

Parti 4 dedos dos pés mas mesmo assim ainda me consegui arrastar para dentro de casa, fui buscar um franco congelado para pôr no pé (porque não havia gelo) e deitei-me na minha cama, à espera que aparecesse alguém e que tomasse conta da ocorrência.

Para meu grande azar, apareceu o meu irmão, que imediatamente se pôs ao lado dos meus ultra-inchados e completamente pretos dedos dos pés, e começou a ameaçar cruelmente que lhes iria tocar e até torcer.

Querendo simplesmente salvar a minha vida, arremessei-lhe com um livro de Direito Fiscal que tinha cabeceira o qual, felizmente, lhe acertou num olho, pelo que ele se afastou dos ditos e, a praguejar, foi para a cozinha, onde tirou umas favas congeladas da arca e veio sentar-se ao meu lado na cama. Desta vez não era para me judiar, mas sim para sofrer comigo, porque também tinha ficado com um olho inchado.

Quando a minha mãe chegou, ouviu vozes no meu quarto. Abriu a porta e deparou-se com um espectáculo degradante. Eu com um frango no pé, ele com as favas no olho.

Fitou-nos durante uns segundos, sem dizer nada. Depois elevou os olhos ao alto e foi a falar sozinha para a sala, amaldiçoando a hora que se tinha lembrado de casar com o meu pai.

Nesse dia comemos peixe.

A cicatriz

Faço uma advertência aos pais inconscientes que, querendo brincar com os filhos induzem-nos em erro e fazem-nos passar vergonhas imerecidas.

O meu pai quando era pequeno levou um coice de um burro no meio dos olhos.

Ficou com uma pequena cicatriz, a qual, obviamente, me suscitou interesse quando tive idade para reparar nela. Ele, em vez de ser franco e dizer-me a verdade, preferiu dizer-me que era um ferimento da tropa e que tinha levado com um míssil na cabeça.

Eu na altura não o questionei sobre o que seria tal coisa, e em má hora o fiz, porque um dia, em pleno jantar com a família do meu pai, pessoas com as quais sempre me mostrei muito reservada, vi a minha oportunidade de ouro para falar e, consequentemente, brilhar:

cunhada do meu pai - olha lá, como é que arranjaste essa cicatriz aí na testa?

estúpida da Susana, antecipando-se ao pai, com os olhos a brilhar sôfregamente, regojizando-se por ser a 1ª a explicar: - isso foi um míssil que lhe acertou!

Os talheres que tilintavam na mesa deixaram-se de ouvir. Os presentes, com a cara enterrada na sopa ergueram os olhos, fitando-me com um misto de admiração/incredulidade.

cunhada do meu pai: - ó Domingos, a tua filha fala pouco, mas quando fala, diz das boas!

E riram-se todos muito, eu agarrei nos 2 coelhinhos da minha avó e fui chorar para a capoeira da criação.

Pais: Não tentem isto em casa.

Acto de Contrição

Há pouco ouvi um clássico: "E se de repente alguém te oferecer flores"?

Lembrei-me da minha 1ª ( e única) ida ao Júlio (de Matos).

Tinha uns 4 anos, fui lá visitar não sei quem (MEU DEUS!! agora é que me apercebi, será que era alguém da minha família??), e um senhor,gentil, mas completamente louco, sem dentes e vestido com um sobretudo até aos pés em pleno Verão, oferece-me um malmequer.

Eu não tive tempo de agradecer, porque pus-me imediatamente em fuga a correr apavoradamente para o Mini do meu pai, com os braços no ar e a gritar com voz grossa, qual Kenny no "Home Alone".

Devo confessar que com 4 anos ainda não tinha uma sensibilidade muito apurada.

Desculpe Sr. Maluco.

QUEM É AMIGA QUEM É? - VÍDEOS

Vá, para se divertirem para o caso (improvável) das minhas sapientes palavras não vos alumiarem a alma:


- Pneu Obediente
http://www.myfilehut.com/userfiles/fogo/aindamelhor.com-pneu.wmv

- Elefantes nunca esquecem
http://www.thefilebucket.com/userfiles/fogo10/memoria.mpeg

- A sério, até a mim me doeu
http://www.putfile.com/media.php?n=news%20lady

- Miúdo Abusado
http://www.thefilebucket.com/userfiles/fogo10/moleque.avi

- Isso faz-se?
http://www.myfilehut.com/userfiles/fogo/aindamelhor.com-massagista.mpeg

- este reprovou no teste de "Macho"
http://www.myfilehut.com/userfiles/fogo/aindamelhor.com-choque.mpeg

- vejam só se quiserem
http://www.thefilebucket.com/userfiles/fogo10/macaco.mpeg

IRMÃ MAIS VELHA




Não sou eu, mas, acreditem, podia ter sido.

Dica: cirurgia/elevador

Como sou sou sempre atenta e solidária, aqui fica uma dica para vós, vigorosos e saudáveis blogo-leitores, caso algum dia se submetam a uma intervenção cirúrgica:


NUNCA ACORDEM DA REALIDADE ANESTÉSICA NUM ELEVADOR!

Sumariamente: ( e falo por experiência própria, como certamente já terão adivinhado )

Quando acordam, não fazem mesmo puto de ideia de onde estão.

E se há pessoa mais lúcida quando acorda, sou, acreditem, eu.

Já estive em pleno Toronto, num descampado, a choverem-me rãs em cima, e a dormir em cima de um saco do lixo preto, do LIDL (grande supermercado, tem umas novas Trishas caseiras), a 9.0000 km da minha caminha e mesmo assim, quando um sapo mais inconsciente me pisou testa, acordei, localizei-me IMEDIATAMENTE no tempo e no espaço e ainda tive o discernimento de dar uma sova bem aplicada no animal e atormentá-lo em inglês ("Run for your life, you stupid frog!)

Adiante. Se acordarem no elevador têm elevadíssimas probabilidades de estarem deitados na maca, a olhar directamente para a lâmpada deste meio locomotivo ( que, elucide-se, costuma ser grandinha e emite uma luz intensa e encadeante) e, consequentemente, acharem que infelizmente MORRERAM e que estão a olhar directamente para a LUZ AO FUNDO DO TÚNEL!

Acreditem, não é uma experiência bonita de se viver, especialmente se só estiverem vestidos com um bata com uma grande racha até ao rabo, sem cuecas nem fraldas, sendo que a maca suja é tão ou mais deprimente que o estado pós-operatório.

Quem vos avisa...

quarta-feira, setembro 07, 2005

Polícia Judiciária, essa grande corporação

Hoje tive de escala na Polícia Judiciária.

Eu gosto muito de estar escalada neste sítio porque:

- são só homens amistosos
- desejosos de agradarem às estagiárias
- recebo à volta de 100 €
- regra geral fico sentada a ver televisão e a ler o jornal
- e faço 3 ou 4 interrogatórios divertidos

Hoje fiz um em que..por favor, acompanhem:

Antes de entrar para a sala do interrogatório, a mãe do miúdo, que o havia acompanhado, agarra-se às minhas mangas e chora, chora, lavada em ranho amarelado:

"Nós não sabemos pq é que ele está aqui! Só se foi por causa de uma mota, dizem que a mota dele andou em asssaltos, mas ele já me disse "ó mãe não fui eu", e eu acredito, olhe é que não mente, só fuma chamôn, e só foi a tribunal por ter sido apanhado sem carta, ai ele é tão bonzinho, nunca me bateu!"

Lá fui eu, extremamente comovida porque o miúdo nunca havia levantado a mão contra a progenitora..
O miúdo tinha 18 anos. Não sabia ler, mas tinha ido até ao 5º ano. (1º mistério indecifrável)

Chamava-se Alberto mas só respondia pelo nome de "Olhinhos". ( Pelo nº de crimes de furto que cometeu mais deveria ser " Beto Mãozinhas").

O Sr Agente perguntou:
"Conheces o Luís Silva?"
"Não"

"Não conheces? Mas estavas lá em baixo na rua a falar com ele!"
"Não conheço nenhum Luís"

Estiveram nisto 5 minutos. Até que o miúdo arrota:
"Não estive a falar com nenhum Luís". Estava a falar era com o "Pintassilgo". Ahhh, como é que nós não adivinhamos? (2º mistério)

Afinal de contas, não tinha nada a ver com motas, mas sim com furtos numa arrecadação na Buraca. Eu fiquei sem palavras. Juro que fiquei literalmente boquiaberta com o rol de material apreendido:

- dossiês de várias cores
- cadeira de praia
- teclado (estragado)
-estojo com lápis de cor
- tuperawares

Não sei quem foi mais idiota. Os palermas que furtaram isto, ou o dono unhas-de-fome que se deu ao trabalho de apresentar queixa.

Ao fim de 15 minutos o "Mãozinhas" foi para casa. Provavelmente na mota roubada.
Eu apanhei o comboio em Entrecampos.

Pobre, mas honrada.

terça-feira, setembro 06, 2005

Dude, where is my car?

Hoje, pela 1ª vez desde o meu encarte, despistei-me.

Não foi uma grandiosidade, mas ainda fiz um peãozito a uma velocidade média de 2 Km.

Estava a subir o TagusPark. O chão molhado pelas 1ªas chuvas. Algum trânsito.

De repente o carro pura e simplemente não trava.

Pânico? Não, sedutoramente puxei o travão de mão e enquanto rodopiava fiquei a pensar quantos espectadores estariam a assistir à cena.

Infelizmente eram poucos. Digo infelizmente porque foi uma cena tão bonita, um peão tão perfeitinho, de uma suavidade tão acariciante, e de uma destreza tão flagrante, que fiquei verdadeiramente triste por só ter meia dúzia de gatos pingados convertidos em espectadores .

Além disso dois deles correspondiam ao condutor do carro da frente e do detrás, que obviamente não contam por estarem aterrorizados, expectantes da direcção que o meu carro tresloucado tomaria (a 2 km à hora, relembro). Por isso não conseguiram discernir convenientemente a minha perfomance imaculada.

Enfim, foi um momento bonito que se perdeu no bulício da cidade.

domingo, setembro 04, 2005

Obrigada Sr. Agente

Perguntar-me-ão vocês:

- Mas ser advogada estagiária tem, efectivamente, alguma coisa de bom?

Respondo eu: sim, já descobri que sim. Ou então é por ser rapariga.

Aqui há uns dias fui a uma festa. O pessoal bebeu uns copos, menos eu, evidentemente, pois considero o cheiro e sabor alcóolicos profundamento nauseabundos.

Conclusão, tive que ser eu a conduzir a Chrysler.
Ohhhh que pena, dirão vocês. Sim, efectivamente é pena, pois às 3h30 da manhã fui mandada parar na minha 1ª operação Stop.

Claro que na minha 1ª paragem oficial eu não tinha QUAISQUER documentos, quanto mais carta de condução. O sr. agente fez um ar muito pesaroso e obrigou-me a ir com ele soprar no balão.

Estava tudo bem, evidentemente, à parte do pormenor de eu não conseguir provar a minha existência e consequente encarte.

Mas isso foi problema que prontamente se resolveu, quando eu, a espumar, mas sempre bem educada e com o gloss nos lábios, toquei no assunto do montante da coima e iniciei o meu praguejar habitual contra o Estado.

Fiz então (com grande capacidade teatral, auto-elogio-me já!) o choradinho de advogada-estagiária-que- recebe-nomeações-oficiosas- de- tudo- quanto- é-gajo- bêbedo-e-reincidente-em-crimes-estradais
e, em tom de confidência, com grande familiariedade:
"sim, sr. agente, porque vocês apanham esses deliquentes, e os estagiários é que têm que defender esses mentecaptos assassinos em tribunal, que quase sempre saiem em liberdade, e somos nós pagos pelos Cofres da Justiça? Não!!! E se o somos é tarde e a más horas!!! Este país é uma vergonha!! A culpa é do cavaquismo, e o Sá Carneiro também teve a sua dose! Ai, mas se eu mandasse nisto, outro galo cantaria!"



Resultou. Fui-me embora com o consolo de uma simples advertência, e um sorriso derretido a desejar-me um resto de boa viagem.

Foi por ser advogada estagiária? Foi ser gaja? Foi por me ter alongado demasiado nos meus desabafos?

Prefiro pensar que foi por causa da 1ª razão. Foi a única que até hoje não me deu nenhuma alegria.

sábado, setembro 03, 2005

Os Filhos da Droga

Tenho que fazer a remissão dos pecados e confessar que às vezes tenho laivos de verdadeira idiotice.

Quando estive na Alemanha, fiquei super excitada por estar no país natal de Christiane F., heroína desse grande livro "Os Filhos da Droga", baseado, como se sabe, numa história verídica.

Tentei encetar conversa e perguntar a todos os nacionais alemães se conheciam esse livro, para podermos conversar um pouco sobre ele. Então ia tentando:

- Do you know "Drug´s Sons"?
- No.

- And "The sons of the Drugs"?
- No

- Perhaps "Childrens of the Drugs"?
- No

- And "Drug´s Childrens"?
- No

Ao fim de 10 dias desisti. Os débeis mentais dos alemães não tinham hábitos de leitura. E não atentavam nos seus próprios best sellers!

Quando cheguei a casa fui buscar com todo o carinho esse livro épico. Na capa: "Os Filhos da Droga".

Na contracapa, o título original:

"Wir Kinder Von Bahnhof Zoo"