segunda-feira, julho 25, 2005

Triste, muito triste mesmo

A colónia de férias do Projecto Crescer começou hoje, segunda-feira. Os percalços do dia..bem, remeterei para outro post. Porque a verdadeira desgraça não aconteceu neste dia 25, mas sim na sexta feira passada, dia esse que recordarei com desespero enquanto tiver discernimento para saber o quão mau foi o que aconteceu.
Curiosos? Bem, a maior parte das pessoas que estarão a ler isto já o saberão, porque a minha boca rota não se compadece do meu orgulho ferido. Confesso, a minha língua transcende-me.
Fomos eu, a Zélia, e a Sónia Neves, vulgo rena Orlanda.
Nesse dia dirigimo-nos nessa furgoneta-maravilha que dá pelo nome de carrinha da Paróquia. Destino: LIDL de Massamá.
Objectivo: Comprar 300 fatias de queijo, 300 fatias de chouriço, 300 fatias de fiambre, 600 pacotinhos de sumo, 17 litros de leite, 9 garrafões de água.
Poderão as coisas piorar?
Sim. Claramente, sim.

Depois de momentos deprimentos dentro dessa coisa que dá pelo nome de LIDL (em abono da verdade, há qur dar o benefício da dúvida aos bolos mármore, tidos como bastante razoáveis)
eu e as duas gajas, sufocadas por um carrinho cheio até à altura dos nossos olhos, decidimo-nos a pagar.

Evidentemente que eu, por um lado, não tenho responsabilidade suficiente para deter o cartão de crédito pciano, nem, por outro lado, habilidade suficiente para colocar as compras nos sacos, por isso fiquei a coçar as minhas feridas enquanto olhava curiosamente para as compras das pessoas que, desesperadamente, estavam atrás de nós.

Recordo-me perfeitamente. Atrás de mim estava uma senhora. Notoriamente a personificação de Satanás na Terra que, para disfarçar a coisa (mas pensaria ela que nós somos estúpidos??) , segurava dois rolos de papel higiénico numa mão e três latas de atum na outra.

Passados uns minutos lá me consciencializei que deveria ajudar as duas desgraçadas nas compras.
Então, num laivo de generosidade que eu própria haveria de pagar BEM CARO, coloquei uma palete de leite naquela coisa que anda sozinha até à caixa, deve ter um nome mas agora não me recordo, fico sempre assim quando as lágrimas me assomam aos olhos e impede-me de pensar. Bem, deve ser tapete rolante, ou coisa do género.

Um nano-segundo após ter carregado com a palete sinto um ligeiro aperto no braço. Viro-me. A tal senhora, essa criatura diabólica disfarçada de doméstica ressabiada olha-me com preocupação.

"A menina não devia fazer esforços" - arrota ela

(Hein??)

" A menina está de bebé não está?"

E o meu mundo, tal como eu o conheço hoje, desaba.

A sónia Rena diz que me viu a olhar psicopaticamente para a senhora.
Eu não me recordo.
Só sei que os meus olhos ficaram raiados e os meus instintos sanguinários tentaram despontar. Controlei-me. Faria senti-la mal, muito mal. Não a espanquei. Apenas coloquei a mão sobre o ventre, ajustando o meu top largo. Encolhi-me ao meu mais alto esforço. As órbitas tentaram sair, a respiração, suspensa, saia de pantufas pelas orelhas. Mas ganhei.
A senhora arrependeu-se instantaneamente.

"Ai desculpe!! Não está!, Parecia, por causa da t-shirt"

Lancei-lhe o meu ar de mais profundo desprezo. Fi-la notar que eu tinha compras para 3 meses num bunker da Argélia, enquanto ela segurava pateticamente 3 latas de atum (classe baixa) e 2 rolos de papel higiénico. CAGONA, pensei eu.

Saí o mais digamente possível do LIDL. Eu sei que é um contra-senso, mas, ainda assim, possível. A Zélia Maria e a Rena, alheias a esta desgraça, cacarejavam alegremente em direcção à carrinha das obras. Sentei-me ao volante e ainda pensei em atropelar acidentalmente uma certa Senhora com muitas Fezes, vulgo Cagona, que circulava pertubadoramente por detrás do meu veículo. Mas deixei-a ir em paz.
Porque eu tenho 25 anos e ela devia ter uns 55. Porque eu ainda posso ter muitos e bons filhos e ela já entrou na menopausa.
Estou demasiado chateada para retirar uma ilação, Façam-no vocês. Mas, posso sugerir algo: TOPS, DA P... DA ZARA, f.. nem dados!!

3 comentários:

elsi disse...

Depois de ler o teu magnifico texto de tristeza lembrei-me de uma coisa. .
Eu acho que não é assim tão mau pensarem q tu estas gravida (mas q afinal não estas). Ve o lado positivo da coisa:
Podes ir sempre sentada nos transportes públicos (por causa dos lugares reservados), podes passar a frente nas filas dos supermercados, farmácias, e w.c (e olha que isto é dos melhores beneficios) podes dar sempre a desculpa "não posso fazer esforços".
Enfim de certo que ha mais boas razoes p sorrir. Não dizem que as grávidas ficam sempre mais bonitas? Se calhar tens tado a ficar ainda mais bonita:P

odinis disse...

dignamente e não digamente.

Anónimo disse...

Eu quero te pagar o resto da bicicleta. Mais uma vez obrigado por tudo o que tens estado a fazer. És uma grande mulher, mas ajudavas mais se viesses PESSOALMENTE falar comigo.

Ricardo da Silva Ribeiro.