terça-feira, novembro 04, 2014

O meu casamento em 15 linhas, tirando o cabeçalho.

POR QUE É QUE ME ESQUECI DE ENCOLHER A BARRIGA EM TODAS AS FOTOS??!! QUE ESTÚPIDA!!!!! UMA VIDA INTEIRA A SONHAR COM ESTE DIA!! ERA SÓ ENCOLHER A BARRIGA, MEU DEUS QUE GRANDE ESTÚPIDA!!!!!



Susana gorducha consegue convencer o pai do filho a casar (como, só em mensagem privada)

Ele resigna-se e diz que sim, assoando-se à manga da camisa.

Susana toda contente começa a fazer ginásio e dieta, atentando no fotógrafo já contratado para o dia 4 de outubro.

Ele vê os resultados, alegra-se, e anda atrás dela guloso.

Ela quase que desmaia de exaustão, no meio de dietas, ginásio e fugas do noivo, tipo filme do Benny Hill.

Eles finalmente casam-se.

Ela engorda imediatamente 3 kgs.

Ele vê a vida dele andar para trás.

Tem a triste ideia de dizer "o teu corpo já acusa falta de ginásio".

Ela, histérica, telefona para a colega de escritório Tininha para ver se ainda há hipótese, a nível canónico, de anular o casamento contraído com o marido mais idiota de todos os tempos.

Tininha acalma a colega, enquanto esta chora e consola-se com uma fatia de bolo de after-eight.

Ele pede desculpa. No seu ar de gestor empedernido, mas pede.

Ela pensa em arrancar-lhe os últimos cabelos plantados na cabeça.  Depois de aturada reflexão não avança.

Ela, vingativa, opta por perder 2 kgs.

Fica bastante mais contente, desconfia que ele também deve estar mas a realidade é que desta vez o homem não se manifesta, temendo certamente pela sua escassa pelúcia, sabendo que é preso por ter cão e preso por não ter. ("ai agora estou mais magra??! e antes estava o quê ó palhaço")

Basicamente foi isto, adoram ou não uma boa história de amor?


quinta-feira, setembro 18, 2014

A minha despedida de solteira (incluirá strip?)

Já tive a minha despedida de solteira. Pedi expressamente para não levarem as pilas e as bandoletes de pénis. E foi como sempre sonhei (sim, eu sonho com tudo, eu sonho inclusive com uma ovação de pé nas Varas Criminais após alegações comoventes e consequente abolvição de um inocente qualquer) .

Tive a companhia das minhas amigas e primas, que me proporcionaram a esplêndida experiência de andar num tuk tuk (mata-velhos para novos, em pleno centro de Lisboa), agarrada aos suspensórios do condutor (Diogo, és grande), qual rédeas do melhor cabedal, enquanto ele relinchava(juro!!) e eu gritava histérica "Anda Estrela, Anda!) pelo Bairro Alto fora, enquanto turistas tiravam fotos.

Após um jantar repleto de jogos, nomeadamente o das perguntas ao noivo: "qual o prato que tu cozinhas que o Pedro mais gosta?"  e eu fico absolutamente siderada por ele afinal até gostar de alguma coisa que saia das minhas mão, arrisco: - "Ovos mexidos?". (Na realidade mal sei fritar um ovo, quanto mais mexê-lo). - "Não..., ele escreveu"endívias grelhadas com carpacio de vitela e azeite de nozes!". (ai gosto tanto dele, tem ideias tão engraçadas!).

Enfim, quase no fim do jantar, e por um incrível mero acaso, surge um convite de um cliente meu mânfio, que está preso, e ao saber que estou na despedida de solteira,  convida-nos a visitar um conhecido clube lisboeta de striptease de mulheres, gerido pelo seu irmão também mafioso. ( Não se preocupem, eles não leêm blogues. A sério que não leêm.).

Eu nem hesitei 2 vezes. Tristemente as miúdas partiraram em debandada para casa, a maior parte horrorizadas com o convite. Claro que eu e uma amiga fomos depois para Lisboa, e batemos à porta do clube super emocionadas.

Resumo breve:

- varões com mulheres nuas, cada uma mais bem feita que a outra, tirei montes de notas mentais
- vaginas pelo ar, mamas num virote (mas mesmo todas nuas, com piercings na vagina, e rabos primorosamente depilados)
- Várias despedidas de solteiros, de homens aparentemente normais, de camisa e sapatinhos. (vadios)

(ATENÇÃO GAJAS: Sempre que ele vos disser que FOI SÓ COM OS AMIGOS A UMA DESPEDIDA DE SOLTEIRO sem lap dance ou com lap não interessa, QUASE TODOS levaram com uma (duas, três, quatro sei lá) vagina e um ânus esfregados naquelas caras sebentas de depravados, bem, e o noivo que eu lá consegui descortinar no meio daquele ajuntamento de primatas, (ai Jesus, o que eu vi, pobre noiva, realmente a ignorância é uma benção. Se aquele fossse o meu noivo partia-lhe, no mínimo, com duas garrafa na cabeça e não havia copo-de-água para ninguém).

Mas caras leitoras, de confiam plenamente nos vossos maridos, e eles são absolutamente decentes e sem uma pontinha de lascívia, concedo que tenham saído imediatamente do clube e tenham esperado pelos amigos cá fora. Mas, pelo menos, naquele clube, não vi ninguém de braço cruzado na rua, mas sim todos encavalitados uns por cima dos outros em cima dos sofá, para verem melhor um buraquinho do rabo da stripper e, com algum esforço (nem muito!), levar com uma nalgada ou um pipi muito bem arranjado na cara.

- Éramos as únicas mulheres, e por causa disso acho que fizemos tanto ou mais sucesso do que as outras nuas, uma vez que nos tomaram por um sensual casal de lesbianas e começaram a salivar.

Eu tentei não me rir nem olhar muito, optei por trincar sedutoramente a palhinha da minha coca-cola e flirtar com uma rapariga virada do avesso num varão, pernas no ar e a deslizar pau abaixo, que eu até fechei os olhos, pensei mesmo que ela ia partir logo ali o pescoço. Não partiu, dirigiu-se directamente à nossa humilde mesa e acabei por levar com as mamas dela na minha cabeça e o rabo nos meus ombros.

E depois, a apoteose!! (hihihi, vou-me rir disto para todo o sempre): Ela, com o seu ar sedutor (um bocado simplório para meu gosto),  desafia-me e diz: "Fui uma menina má...". E eu, que acho que sou sempre muito esperta e apanho as indirectas todas no ar, cheguei a mão atrás, ganhei balanço e espetei-lhe com um palmadão no rabo que até se ouviu na cabine do duche!!

Nano-segundos depois, lembrei-me que não lhe podiamos tocar. Houve um pequeno momento de pânico. Preparámo-nos imediatamente para sermos expulsa daquele nobre estabelecimento e eventualmente levar uma sova da brasileira.

Mas nada aconteceu,  a srª stripper após um esgar de surpresa, até sorriu e virou as suas atenções para a minha parceira de lesbianismo esfregando-lhe os peitos de lona no nariz . Ri-me muito porque a minha amiga é do INEM e já viu muita coisa, mas naquele momento estava completamente branca, e depois de levar com as peitaças ainda a outra lhe meteu a mão na camisola e ela começa a escorregar pela cadeira abaixo em aflitivo estado.

Enfim, adorei...

À saída, a minha amiga parou-me, olhou-me nos olhos e disse: "Ganhei todo um novo respeito por ti.  Excelente actriz".

Eu respondi "Eu sei. E nunca, mas nunca na nossa vida, podemos deixar os nossos gajos ir a um clube de strip".

Na realidade o Pedro, na sua despedida de solteiro vai ver o Benfica-Moreirense.

hehehehe que grande toino!

segunda-feira, agosto 25, 2014

Holmes...amo-te. Watson (só para despistar)

Não é para me gabar - sim, claro que é, vou-me gabar como se não houvesse amanhã -  mas eu estou um ESPECTÁCULO!

5 palavras e uma expressão idiomática : Desespero, Holmes, Place, Personal, Trainer, e “perdi  o amor ao dinheiro” ( mas vale cada cêntimo).

Cômputo global:  Susana curvilínea, tonificada e deliciada consigo própria.

Hoje a Kelly Baron ou lá como se chama a brasileira do Pedro Guedes, remou mesmo ao meu lado. Confesso que ela é muito querida, sorridente e sexy.

Mas a realidade é que estive ao lado da Baron e não me senti um porco-montês!! Quer dizer, óbvio  que me senti mal, mas um desagrado  bastante relativo.

Cheguei  inclusive a corrigir a postura lombar ao nível máximo de esforço, toda estrelicada, assegurando-me que ela  tinha uma visão segura das minhas mamas, absolutamente arrebatadoras, acondicionadas num excelente soutien da Triumph.

Pois é, anuncio em primeira mão (para quem queira saber) (vá lá, todos?! Quase todos?), que as minhas mamas (gigantescas, assustaram o pediatra),estão METADE do tamanho e, apesar de ainda roçarem a linha abaixo do umbigo  - muitos smiles tristes :( :( ;( , com soutien juro que pareço a Miss Porca 2014.

Moral da história: … insegura, idiota, flageladora de gordinhas, chamem-me o que quiserem.

Mas neste momento…, bem enquanto escrevo, elevo as minhas esbeltas pernas em direcção ao candeeiro do tecto, e contemplo-as  a contra-luz,. …juro que até a pelúcia das coxas me parece harmoniosa….

Acho que libertei endorfinas em excesso. Espero não vir a ter problemas.


  

quinta-feira, julho 31, 2014

O DINHEIRO

Quando tinha 17 anos, o Pedro foi para uma (prestigiada) universidade no Canadá (1.º europeu a ser admitido) (POSSO GABÁ-LO? POSSO?! É que vou-me casar dia 4 de Outubro e quero gabar o meu Pedro). Sim, SALSICHA VAI-SE FINALMENTE CASAR Ó MEU DEUS, Ó MEU DEUS, BELISQUEM-ME!!!!!!!

Continuando,

O Pedro teve que ficar em casa de uns tios-avós milionários e, ao mesmo tempo, possivelmente as pessoas mais forretas deste planeta.

Era mais o tio-avô. Do estilo de tomar uma banhoca por semana, de utilizar a piscina pública às 3ªs feiras porque é o dia em que qualquer pessoa pode entrar sem pagar, normalmente eram os sem-abrigo e o tio-avô.

 (Uma 3ª feira obrigou o Pedro a ir com ele. Pendurou as calças e a t-shirt. Disse-lhe que não era preciso dar 20 cêntimos por um cacifo, uma vez que no Canadá é tudo gente séria.. Quando chegou tinham-lhe roubado as calças, e o homem andou desesperado em cuecas pela rua, a abrir os caixotes do lixo com a bengala, a ver se ainda encontrava a carteira). (O Pedro manteve-se a uma distância de segurança/vergonha de 10 metros).

Portanto. Era milionário mas era avarento. Infelizmente sofria de leucemia e mais umas 3 ou 4 doenças que agora não me recordo.

Um dia o Pedro perguntou-lhe por que motivo ele não gozava simplesmente a velhice dele e da mulher, e usufruiam dos bens, dinheiro, casas que detinham. Por  que não davam a volta ao mundo num jacto particular e compravam uma ilha qualquer.

O tio-avô ficou incrédulo com a pergunta.

O senhor já tinha uns 70 anos, tinha tido 2 acidentes de trabalho, um dos quais bastante grave, que lhe encurtou uma perna (andava com aquela bota simpática compensada), o outro menos grave mas que lhe lixou a coluna e tinha que andar de bengala.

"Por que é que eu não gasto dinheiro??!!!"
"Sim, por que não vai com a sua mulher passear, jantar fora, qualquer coisa?

"Ó filho, tenho que poupar, sei lá se um dia não posso precisar!!!"

Repito: Leucémico, uma perna mais curta que a outra, a coxear que se desunhava, dobrado numa bengala. Mas guardava o seu milhão para uma qualquer eventualidade, não fosse acontecer-lhe qualquer coisa.

 (Fui ao freeport snif, sentimento de culpa a extravasar, por isso gozo com os outros. Mais velhos. E falecidos.)

Salsicha vai-se casar, tudo lhe é perdoado.






sexta-feira, julho 18, 2014

Se conduzir, não se esqueça de...

Este post é dedicado a todos que, em determinado momento, se sentiram os seres humanos mais rascas deste mundo. E a vida continua.

Ia eu toda satisfeita com o Pedro às compras no Modelo (adoro ir às compras domésticas, sinto-me sempre super adulta e responsável).

As sobremesas estavam todas a 50% de desconto – imediato!! O Pedro, conduzindo o carrinho das compras, adverte-me que os nossos gelados (Cornetos 4 ever) iriam ser levados em último lugar para não derreter. Fiquei algo desconsolada porque tinha um legítimo receio que eles se esgotassem, mas não tive alternativa senão ir à merda das hortaliças e afins atrás dele (ODEIO COUVES E COMPANHIA!!! DÃO-ME NERVOS!!). Respiro fundo e continuo a empurrar o carrinho do Francisco (entretido com os seus próprios pés).

Finalmente, as compras terminaram. Agarrei nos meus queridos gelados e fomos para uma caixa de pagamento. Por ainda estar na fila, depositei-os cuidadosamente na prateleira das revistas e espreitei sofregamente a revista Nova Gente.
OMG! A  Bernardina do S.S. 4 está grávida?! Really?”

Entretanto, outra caixa de pagamento, muito mais longe, mas sem ninguém, abriu. O Pedro alcança-a facilmente. Eu lá vou a arrastar-me como sempre com os sapatos novos da Zara (saldos).

**
Pedro (de cara fechada, incomodado): “É tudo?”
Eu (matutando e atingindo pensei: que estúpida, deixei lá os cornetos).
Volto para trás, por acaso até mais lesta que o costume e alcanço as duas caixas encantadoras de gelado. Regresso junto a ele com os cornetos numa mão, e a Bernardina gorda que nem uma texuga na outra (ainda não tinha acabado de ler. Para onde é que ela vai viver?)
**
**
Pedro (rosto impassível): “Tens mesmo  a certeza que não te estás a esquecer de nada?
Fico confusa. As compras todas direitinhas conforme a lista que elaborei com a língua de fora durante 10 minutos. Não faltam o queijo e os 5 litros leite (itens OBRIGATÓRIOS lá em casa). Não falta absolutamente nada, sou a dona de casa perfeita!

Olho para trás. Olho para os lados.

E ao longe, na antepenúltima caixa, está o carrinho do Francisco. Não consigo perceber se ele está a chorar ou não porque está realmente distante (mas por acaso até acho que nem está, não obstante terem-se aglomerado umas quantas pessoas).

Que grande merda! Sinto-me uma carteirista detida em flagrante no 28. E lá vou eu buscar o meu filho em passo acelerado, sorrindo para as pessoas que entretanto se juntaram, como quem fez uma partida ao filho para ele aprender a não ser traquinas.  

O Pedro nada disse. Não precisa.

Posteriormente descansou-me um certo padre, rindo-se: “Susana, não és nada a pior mãe do mundo!! Mas realmente andas lá pelo rol”. É um pároco com muito sentido de humor.

NOT. Que homem estúpido! O que há de pior que um enxovalhamento paroquial??!

Então, seres humanos que já se sentiram muito rascas e a quem dediquei este desabafo… já se ajuizam melhor? Naturalmente que o título completo deste post é "Se conduzir, não se esqueça que tem um filho de 17 meses abandonado numa fila de supermercado, por muito aliciantes que sejam outros estímulos, vulgo gelados e revistas".


 (P.f.: a existirem, preciso de comentários meigos)

quinta-feira, fevereiro 27, 2014

Resumo dos últimos 4 anos.

Era uma vez uma miúda simpática, muito dada e bem disposta, uma profissional liberal cheia de tempo e de frescuras.

Que encontrou um senhor igualmente bem-disposto, um verdadeiro gentleman

mas que não sabe pendurar os varões dos cortinados e que quando martela um prego cai parte da parede da sala, e ele diz que é apenas estuque (e então? é estuque e então? A parede partiu-se aos bocados ou não?)

(O que pôs em crise todas as minhas teorias de "eu quero é homens a sério, daqueles que sabem arranjar torradeiras")

E a isto chama-se AMOR.

 E o AMOR dá nisto.

Dá numa vergonha social muito grande, nem consegui dizer "estou grávida", porque isso implicaria revelar algumas coisas sobre a minha intimidade, então preferi dizer "vou ter um bebé", como quem diz " comi demasiada mousse, acho que vou ter uma dor de barriga" 

 E esta é a prova de que quando as pessoas estão em perigo iminente entram em absoluta negação.

E  que as pessoas ao seu redor têm tanto medo que dê a travadinha final que fazem-lhe as vontades todas, não obstante as recomendações obstétricas de "CESARIANA AGORA, DEIXEM-SE DE FOTOS"

ps - Mamas absolutamente... como direi?.. INCONSTITUCIONAIS.

Nesta foto reconheço perfeitamente o meu olhar esgazeado e sorriso azedo, com um único significado:

"Podes tirar a foto, mas se eu não gostar dela e não a apagares, irão existir vítimas graves. E não sou eu". (Penso que aqui o bebé pensou  que efectivamente a vítima poderia ser ele, mas na realidade referia-me ao pai  que insistia que eu tirasse uma foto no dia do teste do pezinho. Quem é que tira fotos no dia do teste do pezinho?! Quem?)

E tudo passou. Recompus-me do transtorno pós-cesáreo, a vida continuou, o bebé cresce feliz com leite da mãe e sopas da Bimby, os manos ficam felizes por terem um bebé na família a quem podem pegar numa perna e arrastar sala fora.

O pai gosta muito do bebé mas todos os dias me relembra que não pode ter mais um, porque já tendo 3, se tiver um 4.º  aos 35 anos toma uma cápsula de cianeto.

Mas eu sei que não toma. :)

Não, não estou grávida. A taróloga ainda não me disse nada.





quarta-feira, fevereiro 12, 2014

E tudo volta ao normal (not)

O Francisco faz 1 ano 2ª feira. Eu volto a repetir.: O Francisco faz 1 ano 2ª feira.

 SANTÍSSIMO NOME DE JESUS!!!

Ainda anteontem apanhei o susto da minha vida com a Taróloga no Fonte Nova de Benfica e agora o meu filho já tem um ano?

Ainda ontem iniciei afincadamente a minha mega-dieta para grávidas na adorável nutricionista para gestantes, engordei 21 kgs e nunca mais lá pus os pés por constrangimento alheio!!

Ainda ontem fiz sabe Deus o quê, uma vez que entretanto a minha memória piorou a 200%, sendo que também tento esquecer determinados períodos em que:

- enjoei de todos os cheiros existentes à face da terra, com especial incidência nos meus MÓVEIS DA SALA com o meu narigão inchado de porca;

- caminhei (ahaahahah hilarious, caminhei!) aos solavancos com as pernas/troncos retesados de tanta tensão e gordura  no difícil trajecto sofá/frigorífico  - frigorífico/sofá;

- andei permanentemente afogada em 2 bolas ultra-gigantes que suscitavam comentários e, juro, não eram lisonjeiros (Mamas. Assustadoras, mas clinicamente ainda eram mamas)

- HEMORRÓIDAS. Malta, a sério, não se brinca com coisas sérias, a srª das análises do Joaquim Chaves ficou tão perturbada que acabou por deixar escapar um "ai a menina depois vai ter mesmo que ser operada" depois de me tentar fazer uma colheita rectal com um micro-pauzinho e NÃO TER CONSEGUIDO (Nota de rodapé: Não fui operada. Voltou tudo ao sítio.Quase tudo).

O miúdo lá nasceu, gabado por toda a gente por saber mamar e chupar tão bem (aparentemente é uma aptidão que não é inata e requer alguma sensibilidade emocional)

E cresceu. Não desmesuradamente (mãe semi-anã, pai magricelas), mas bonito. Loiro, de olhos castanhos meio tortos como os meus, mas  que lhe confere um olhar diferente, misterioso (espero).

Não é por ser meu filho, mas acho que é um génio e é muito mais inteligente que todos as outras crianças, nomeadamente os irmãos Pedro e Afonso que já têm 10 e 9 anos. Temos pena, mas é.

1 ano. 2 dentes, unhas dos pés, tomates, tudo a que um bebé e sua mãe têm direito.

 E continuei a ser advogada, garantindo a comunidade traveca, ganhando romenos e conquistando cabo-verdianos, O meu próximo objectivo é malta de Leste, mas ainda não consegui.

Moral da história: Ter um filho é muito bom. E marido  também, especialmente matrimónio católico, por isso se me estás a ler Pedro Carmo, MANCA-TE.

E era só isto, nada de especial.

(MANCA-TE)